Poemas, frases e mensagens de Carlos D

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Carlos D

Abraço

 
Para o dar tenho que o receber
sempre que te vejo por ele espero
no meio fica sempre a bater
algo verdadeiro e sincero

posso não conhecer quem o dá
mas que venha forte e sorrindo
que em meus braços caberá
em meu peito será bem vindo

é bom ter um quando a tristeza
bater á porta e quiser entrar
porque ele vai concerteza
deixar á porta a tristeza ficar

já muitos o deram sem vontade
e o receberam na mesma hora
mas depois fica aquela saudade
quando ele se vai embora
 
Abraço

Ecos

 
Lentamente se abate
sobre o meu andar
este frio da noite,
não me consigo escapar

Diz-me tu onde estão
as palavras que ouvi
restos de mim elas são
e no eco da noite as perdi

Às escuras o meu eco segui
senti-me perto, não sei
estarei eu por aqui
ou as palavras eu serei

No frio da noite reparo
que as palavras são o vento
o meu eco se torna claro
diz que,só vivemos o momento
 
Ecos

Sonhei-te

 
Da janela surgiu um sorriso
que eu afaguei com o olhar
serà um sinal, um aviso
ou esta vontade de sonhar

Essa janela escura e fechada
que eu procuro sem cessar
tem dentro uma alma adormecida
que eu espero um dia acordar

Quis então um dia adormecer
para com ela poder estar
e em seu olhar me perder

E ao beijar no seu sorrir
poder o meu sonho realizar
e a janela escura então abrir
 
Sonhei-te

o céu existe mesmo?

 
O céu existe mesmo?
Não aquele que vejo
Ao olhar para cima
Mas aquele que eu desejo

O céu existe? Talvez
Seremos o mesmo lugar
Eu penso logo existo
Ele existe se o pensar

O céu existe? Não sei
Se a sua existência depende
De mim do meu querer
Do consciente que o entende

O céu existe? Em mim
Porque o penso e imagino
E nele quero acreditar
Para ser o meu destino
 
o céu existe mesmo?

Teu Rosto

 
Teu rosto não sei
num poema descrever
fechei os olhos e tentei
te imaginar, te perceber

Olhos que sabem olhar
veem alem dos horizontes
os cabelos no vento soltar
serão ondas brilhantes

A boca que nada diz
guarda mil segredos
o rosto calmo e feliz
procura momentos perdidos

O pensamento de sonhos feito
tenta encontrar uma razão
para num momento perfeito
dar ouvidos ao coração
 
Teu Rosto

em cada gota, tu

 
Em cada gota um desejo
que o reflexo seja o meu
e o teu,
que a meu lado
me abraça num constante
entardecer,
e me fala de sonhos
que eu esqueci,
 
em cada gota, tu

Vazio

 
hoje nada me seduz
nem me cativa o pensamento
um vazio se produz
só o ruído do vento

olho para o horizonte
e nem consigo saber
se o sol esta no poente
ou simplesmente a nascer

neste tempo de bruma
só consigo constatar
que não existe nenhuma
razão para tentar mudar

por mais que seja incerta,
esta espera, esta paragem
faz parte da descoberta
de uma nova mensagem

que do vazio vem a esperança
e que em qualquer momento
pode acontecer a mudança
pode nascer um sentimento
 
Vazio

entre nós

 
entre o meu e o silencio do teu olhar
as palavras se diluem no eco perdido
de entre a vontade de tua mão tocar
e a saudade de rever teu cabelo caído

os dias passam por entre os sonhos
que me aquecem naquelas noites frias
em que adormeço ouvindo os lamentos
de um vento com tuas palavras vazias

poiso o olhar no horizonte distante
tento vislumbrar na sombra do poente
o eco das palavras que quero escutar

entre os espaços vazios do encontrar
existem sonhos que ficaram guardados
em olhares em abraços em beijos dados
 
entre nós

teus cabelos

 
Em meu colo teus cabelos
Aguardam minhas mãos
Meu suave toque
Te faz adormecer, e então

Deixo que teus cabelos
Subam por mim
E me falem de ti
E me digam que sim

Às perguntas que não faço
Mas que ouves em segredo
Às palavras que não escrevo
Mas encontras em meus dedos
 
teus cabelos

Alegria

 
As vezes sem conta
que eu te olhei
em teu rosto vislumbrei
uma vontade enorme
de te renderes ao luar,
segue o sonho
que a lua te ofereceu.
No vazio consentido
que preenche a tua vida,
reina a sombra
de uma vontade adiada,
solta-a ao luar
mergulhe na fantasia
do momento que é teu,
e faz com que aconteça
tudo o que a mente
teimosamente te quer negar.
Faz das tuas palavras
versos de um poema
que se chama alegria.
 
Alegria

Sou

 
Hoje alguém me olhou
Sorriu e me deu a mão
Perguntou, sabes quem sou?
Na tua vida sou o refrão

Sou o calor que te envolve
A luz do teu caminho
A energia que te move
A mão quando estás sozinho

Mesmo longe, estou sempre à mão
Quando vou, deixo contigo
Um abraço um sorriso

Meu nome vem do coração
Podes o chamar, se for preciso
Sou quem chamas de amigo
 
Sou

 
Lá, onde o pensamento
Se afastado da razão
Lá, onde me invento
E me seguro na razão

Lá, onde me escondo
E me abrigo do que sou
Lá, onde me afundo
Sem saber onde vou

Lá, naquela sombra
Que só mostra o exterior
Lá, lugar que me assombra
E se confunde com a dor

Lá, o meu outro lado
Que me faz ser assim
Lá, onde estou algemado
Mas que pertence a mim
 
Lá

Meditação

 
nesta pressa em se chegar
não se sabe onde nem quando
se perde por não olhar
se ignora não escutando

no caminho toda a natureza
nos proporciona sabedoria
os pássaros cantam a beleza
o vento dança de alegria

mas a vontade de se adiantar
andar mais que o próprio passo
mais do que a vida pode dar
é encurtar este tempo escasso

por isso, a cada passo dado
olhar em redor ver e reparar
ouvir a natureza no seu estado,
na meditação a podermos imitar

e na meditação, descobriremos
como encontrar, quando partir
quem nos somos, o que queremos
saber a razão do nosso existir
 
Meditação

sentir.te

 
gostava de te olhar e te ver
no sabor de um beijo,
sentir a alma transparente
no toque de um teu sorriso,
contigo me perder e sem saída,
ficar nu de mim
para poder agarrar tuas mãos,
sentir teu rosto em meu lábios
e gostar de sentir que estás aqui.
 
sentir.te

Pluma de luz

 
leve como a luz, pluma
que não magoa, não mente
só nos mostra simplesmente
que somos luz, na bruma

sopra o vento, nuvem escura
e eu cego, me escondo
vem a luz, e me jura
a sombra é teu escudo

vai a pluma no vento
sem sombra, fica a luz
e a cegueira do momento
para a vida me seduz
 
Pluma de luz

pagina em branco

 
escrever parte de mim
em papel que não sou
e um dia acordar
num poema com sentido,
o branco me traduz
é onde semeio
sentidos pontos negros,
rimas que ficam para sempre
no papel, em branco.
e eu, só
reflexo de uma folha
onde o sentido
vai alem do que não se vê.
vai alem de mim
vai alem do branco.
 
pagina em branco

Timidez

 
existe simplesmente
na minha mente,
como uma corrente de aço
que controla tudo o que faço

o que penso,
o que no pensamento condenso,
não me deixar
de mim me libertar

ter que fingir
o fingimento ter que ouvir
ter que ser afinal
uma personagem virtual

Como num sonho
em que me proponho
não ser quem queria
mas o que ela me dizia
 
Timidez

Tempos antigos

 
hoje veio-me a recordação
dos tempos em que á lareira
sentado, estava com atenção
ao ferver da cafeteira

depois da seia era tomado
aquele café de mistura
um forte aroma perfumado
que ainda hoje perdura

e por vezes a acompanhar
um biscoito de manteiga
com aquele paladar
feitos a maneira antiga

para sempre ficou guardado
esses tempos de ouvinte
de historias do passado
de planos do dia seguinte

e no fim já ensonado
subia de candeia na mão
as escadas para o sobrado
me deitava no colchão
 
Tempos antigos

Ilusão de amor

 
todo o amor que se sente
em teu rosto, sumiu
outrora era presente
mas no tempo se diluiu

teus olhos de mulher
se despiram de vaidades
e sofreram por ter
desse amor saudades

belo e vibrantes sonhos
por um amor, no momento
são pesadelos medonhos
na ausência de sentimento

querer que o tempo seja
eco do vento e que venha
em forma de um desejo
que na ilusão me mantenha

se te definha foge da ilusão
deixa cair o elo quebrado
que tuas lágrimas seguram
não se vive o passado
 
Ilusão de amor

o meu natal

 
falta um mês para o Natal
a emoção de mim se apodera
queria nesta época especial
relembrar toda aquela era

sentir uma enorme alegria
quando lá em cima no portão
via a minha mãe que trazia
o pinheiro verde pela mão

percorrer a encosta sombria
onde a humidade faz crescer
o musgo verde que se escolhia
para no presépio se estender

as imagens, relíquias guardadas
colocadas por entre o musgo
onde piscam mil luzes coloridas
são para meus olhos um afago

depois, a partir desse momento
era como um toque de magia
se perdia a noção do tempo
era o meu mundo de fantasia

o Natal está a chegar
se renova aquela emoção
poder o presépio montar
com o meu filho pela mão
 
o meu natal