Poemas, frases e mensagens de laroche_l

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de laroche_l

VERSO DESINQUIETO

 
sei que és mar
que a maré te traz
à luz do luar
e te leva então
sem dar explicação
nem perceber que me faz
ser rio a chorar
nesta espera de nós
sem encontro, sem foz.

escrito a 14.11.09
 
VERSO DESINQUIETO

CALIGRAFIA

 
Molda-se o papel de seda
à escrita ondulante
das mãos;
no desenho amante
de cada traço,
cada letra é um laço
apertado,
soletrado pelos lábios
sábios de amar;
cada sílaba nascente,
que desliza, urgente,
é um afago por dar,
e as palavras
são linhas fechadas,
promessas consumadas
num beijo silente,
certezas desenhadas
a tinta permanente.
 
CALIGRAFIA

VIGÍLIA

 
Em quieta
inquietação
percorre-me,
insuspeita,
a razão secreta
das noites afloradas
em mãos entrelaçadas:
vibrante lume
em que foste meu
verbo sublime
e eu,
tua conjugação.
 
VIGÍLIA

MEDO

 
sombra insurrecta,
negro veneno subtil
na ponta da seta,
fulminante pergunta
alimentando o medo,
um espesso enredo
inútil
destilando assombros
que a razão inquieta
logo amplifica,
e no eco do penedo
mortifica,
edificando escombros.
 
MEDO

CERTIDÃO DE ÓBITO

 
Num cego ceifar,
sem pestanejar,
a mão ágil
rasura sem pena
a palavra frágil
de um embrionário poema
trespassando o verso
antes do berço:
indefesa, foi-se,
sob o golpe da foice.
 
CERTIDÃO DE ÓBITO

BEIJO

 
São tantas
as cores
que despertas
em mim,
são flores
abertas,
um suave cetim
um toque intenso
ardente
imenso;
e o instante,
que assim
se demora,
é do tempo que pára
infinito –
agora.
 
BEIJO

Bel Canto

 
Cristalina e límpida
é a melodia que oiço,
água corrente incontida
sulcando o incessante verso
que me toca, mas não alcanço.

E essa voz murmurante
perpassando o que sinto,
preenche-me a cada instante
com um timbre absoluto
que não sei dizer, mas escuto.
 
Bel Canto

FUTURO

 
A folha jaz
ao Inverno exposta,
seiva morta
de uma Primavera esgotada
extinta e incapaz
de acordar a madrugada.

Na quietude fria
da noite chegada
aceita a estação vazia
serenamente calada:
e o que inspira então,
é uma perspectiva aberta,
um tempo que se liberta
da própria prisão.

Escrito a 23.02.10
 
FUTURO

RAIZ

 
Cavo fundo
com vigor,
rigor e método,
mas sem nunca alcançar
o lugar
onde assenta
a verdade que cimenta,
este dizer
e escrever
que me alimenta
a dor
de ser sílaba exposta
à corrosão do mundo.

Vox Poética IV
 
RAIZ

DESÂNIMO

 
Promete-me tudo, anjo,
eu já nada vejo
no escuro cárcere envolto
estou cego, não me revolto
no dormente sentir
em que me sinto ir
pela estrada do desalento
onde sopra o vento
do infortúnio maior
e grita sangrenta
em ferida aberta
a minha dor.
 
DESÂNIMO

As Minhas Línguas

 
Língua estufada
Língua de boi
Língua-de sogra
Língua-de gato (ou gata)
Conforme o gosto
Língua de bacalhau
Língua ao molho Madeira
Lingua de Boi a Périgueux com trufas negras e creme de batatas (três chique)
Linguado 16+
 
As Minhas Línguas

NÓS

 
Sem ti não sou.

Margem sem pilar
que estenda a ponte
alongando mãos secretas
desejosas de amanhecer e raiar
em gestos de carinho transbordante:
desmedidos nas ofertas.

Contigo estou.

No mais ínfimo pulsar,
guardando na pele ardente
registos das hora acesas
em incontido e premente ansiar,
sou teu em cada verso nascente
florindo tuas gémeas rosas.
 
NÓS

CARTA DE MAREAR

 
Há um único ponto
que fixo distante
no largo horizonte

Tu sabes, e eu sei,
estrela radiante,
do retorno inconstante
dos corpos celestes
vagueando sem lei
em ardor pulsante
e trajectórias errantes

Soubera eu ser
tua voz mais serena
larga baia amena
para te receber
 
CARTA DE MAREAR

LUA

 
Na proporção
do amor
arde a dor
em quarto crescente
sem voz clemente
que em pranto a lamente.
Alva é a luz
que assim conduz
o sopro dolente
nessa premente inalação
que afronta a razão
retraída e dormente.
 
LUA

REGRESSO

 
Teus braços estendidos,
de desvelo esculpidos,
são a ponte que atravesso
para o outro lado de mim.
Faz frio e estremeço,
mas alcanço por fim
o teu peito,
suave leito
onde ingresso,
indefesa,
na íntima certeza
de que descanso em ti,
cálido remanso
de onde um dia parti.
 
REGRESSO

ESPELHO

 
contigo sou
muito mais eu
sendo apenas nós:
uma só respiração
um único sentir
que nos envolveu,
nos calou
e deu voz
a uma e outra mão

e sei que és tu
porque me esqueço
de mim,
e me vejo reflectido
no sorriso incontido
com que me olhas assim
 
ESPELHO

DEFINIÇÃO

 
Meu lar:
são teus braços
aconchegando o silêncio
em estreitos laços
são ondas de mar.

Meu amor:
é maré transbordante
que me encheu de ti
mesmo assim, distante,
és tu sempre aqui,
meu sonho maior!
 
DEFINIÇÃO

FERTILIDADE

 
A palavra soa.
Quando a semente é boa
(de pomo de ouro)
não carece de coro
que a amplifique,
nem de fermento ou loa,
que a magnifique.
Basta-lhe sentir
no solo,
o eco sensível
que se faz ouvir
no colo,
quando a semente é boa.

Vox Poetica II
 
FERTILIDADE

CONTRA RELÓGIO

 
Nas horas mais longas
vestidas de silêncio
sem dificuldade presencio
o cair de noites largas
em que espero
derrotar a imensa espera
e este vão desespero.
Num duelo insustentável,
com ar imperturbável,
enfrento por inteiro
o tempo total
que ainda me espera
num desafio imóvel
e pose fatal.
 
CONTRA RELÓGIO

ATLÂNTICO

 
Nas vagas vertiginosas
naufragou meu batel
sob ondas amorosas
que lhe afagam a pele

Inebriados, imersos, fluindo
no largo mar de amoras,
sem tempo e sem horas,
fomos vasto oceano, rindo.

E o imenso sermos
canto salgado e doce
foi terno amanhecer-nos
que felicidade trouxe.
 
ATLÂNTICO