Poemas, frases e mensagens de Andy

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Andy

"Tu És!"

Fresco beijo de Marés

 
Fresco
é o beijo de marés
que me salga a boca

as ondas, dançam-me aos pés
uma chega após outra

...é o beijo, das marés
do Mar, em Paixão louca!
Do Mar, Amor, que És!

Confesso Amar-Te! Confesso outra vez!!
De lábios refrescados
pelos salpicos salgados

à sombra dos Teus lábios
vestidos de marés!

De corpo e Alma
de lés a lés
vem de Ti, brisa calma

...um Amar fresco, de marés!

Andy
 
Fresco beijo de Marés

Toca-me!

 
Estende-me o Teu corpo,

esse manto que anseio,

que me ateia o Desejo supremo de Te Amar!

Toca-me, com as Tuas mãos sumptuosas,

de seda vestidas,

que se perdem nos labirintos do meu corpo!

Toma-me!

Faz-me Teu!

Solta o Teu sentir pleno,

e derrama-Te sobre mim,

água doce,

a Tua pele na minha pele,

veste-me até à Alma,

com os beijos dos Teus lábios,

e sussura-me o Amor,

qual brisa suave!

Sou Teu, basta que me libertes!

Andy
 
Toca-me!

Escrevo nos umbrais das portas fechadas

 
Escrevo nos umbrais,
ressequidos, gretados,
vazios de Sonhos
e de caminhadas apaziguadoras,

Palavras, que se me escapam da Alma.

Lateja a mão de dores,
por bater nas portas fechadas.

Mil Sóis, mil alvoradas!!
E outras tantas Luas abandonadas,
que eu deixei por Ti.

Mas sou assim,
Louco Poeta Apaixonado,
que outrora escreveu sonhos,
em umbrais fertéis de poesia!

Já é Dia...
e nem tinha dado por isso.

Tomo o Teu Sorriso,
por Sol esplendoroso!
E sinto-me assim, vaidoso,
por ter um Sol que é só meu!

Talvez, por isso, ainda escreva.
...Mesmo que os umbrais,
estejam ressequidos e gretados
e as portas fechadas.

Andy
 
Escrevo nos umbrais das portas fechadas

A desilusão é a agonia do Poeta

 
Sinto que das mãos
caem palavras perdidas.

A desilusão é a agonia do poeta.

Se o fosse, estaria agora
numa letargia agonizante
um desistir de Querer.

Perder
é algo que nunca me acontece
apenas deixo de ganhar...

por dentro, sinto-me Mar!
Transbordo-me pelo olhar....
gota a gota.

Importa pois nunca ser poeta
e deixar antes, que agonizem as palavras!

Que sejam ocas
cheias de nada! Hediondas!

Mar sem ondas
é como me sinto...

sem o sol a pôr-se, no infinito de mim
até onde o meu olhar atinge
sem farol, ou lua que finge
a noite iluminar.

De mim, saberão sempre que sou Mar
mas nunca poeta!

Talvez por isso, o Sal que tenho nos lábios
me provoque um sorrir de Alma
mesmo perante esta agonia das palavras.

Amanhã, existem mil ondas para me embalar.

Andy
 
A desilusão é a agonia do Poeta

Respiro-Te!

 
Respiro-Te!

E por isso vivo!

Na noite que chega,

és a esperança do Dia que irá nascer,

por isso, só tenho Sonhos bons,

por isso, até sorrio na tristeza

e as lágrimas são água doce,

que dão Vida às minhas Palavras!

Consigo ter sempre a mão estendida,

o Coração aberto

e a Alma liberta, para Te Amar!

Até a chuva que caí,

são raios de Sol que me aquecem!

...E tudo porque Te respiro!

Sem Ti,

morreria em cada ontem que passou

e as Palavras não existiriam!

Em cada momento, respiro-Te!

Andy
 
Respiro-Te!

Anseio cair em Ti

 
Anseio cair em Ti
como se foras terra sedenta
e eu
água fresca acabada de ser vertida!

...E entranhar-me em Ti
profundamente
sentir-Te por dentro
sermos apenas um!

Anseio cair

nas veredas do Teu corpo
e vestir
a maciez da Tua pele.

Anseio-te mel

que me adoças a boca
anseio libertar em Ti esta Paixão louca
tornar os gestos lânguidos
e os suspiros sumidos
pelo arfar que nos escapa da boca!

Anseio que me anseies!

Que sintas fome e sede de mim
e que do meu corpo faças o Teu mantimento!

Nem que seja só por um momento
aquele momento
em que vistas o Teu corpo com o meu

e por instantes... fiquemos assim eternamente!

Andy
 
Anseio cair em Ti

As Palavras já não esvoaçam!

 
As Palavras já não esvoaçam...,

apenas sucumbem pela força do cizel

e feridas de morte, tombam, sobre o papel!

As Letras, já não ficam, apenas passam

e as frases soam como que incompletas,

como ondas que chegam à praia, incertas!

As Palavras sangram, com cor diferente!

Esvaiem-se em Vida e gotejam Momentos,

transbordam Sentidos e soltam Sentimentos,

Sentimentos escritos, a tinta permanente!

Qual indelével batom, dum Sorriso maior,

pintadas de Paixão, Vermelho-Fogo e Amor!

...E se as Palavras, amargarem na boca,

posso sempre, numa rima louca,

pinta-las suave, com um toque de pincel,

qual Beijo-Esplendor, carregado de Mel!

Então as frases soarão mui doces,

minhas Letras e Palavras, serão Tuas posses!

O meu Amor será Teu! ...Amor incondicional,

pois as Palavras e as Letras, sou eu afinal!

andy
 
As Palavras já não esvoaçam!

Deixei um poema à Tua porta.

 
Deixei um poema à Tua porta.
 
Embriagas-me
na imensidão do Teu Ser!

As Palavras são vãs.
E a água que de mim bebes,
brota da nascente dos Teus Sorrisos.

Os dias passam,
e eu, sobrevivo a cada um,
somente porque respiro-Te!

Corres-me nas veias,
aconchegas-me a Alma
e tornas o meu olhar adocicado.

Fico calado,
mas a Amar-Te...

preencho cada ausência,
com o brilho dos Teus Sorrisos!

As mãos, as minhas mãos,
ainda derramam Palavras por Ti!

Andy
 
Deixei um poema à Tua porta.

Moldo-Te o corpo

 
Moldo-Te o corpo
 
Moldo-Te o corpo,
na passagem suave das minhas mãos!

Na seda da Tua pele desnuda,
florescem gemidos,
das sementes que os meus lábios plantam,
nos sulcos de desejo,
que a minha lingua lavra!

Sôfrego,
o Teu corpo implora,
submisso,
sem razão ou querer,
para que o tome!

Nem que seja, por puro prazer!
Pura posse!
Loucura demente!

Possui-lo num repente
e ficar por lá enlaçado...
laço de desejo, apaixonado.

Moldo-Te o corpo,
com o meu corpo,

alimento este desejo,
de Te vestir de mim...

por fim,
à sombra dum Beijo
abraço os suspiros que nascem

e permaneço com as minhas mãos
vestidas de Ti!

Moldo-Te,
Desejo insano,
com que me vestes o Olhar!

Andy
 
Moldo-Te o corpo

Ardente!!

 
Roubo-Te o trajar com a boca,
no tocar do corpo,
no cair da roupa,

torno-Te deusa semi nua...

metade Mulher,
metade Desejo,
e calo-Te na boca o Beijo,

como quem pede e quer,
trajar com a luz da Lua!

Solta,

a lingua perde-se na pele
e já a Tua mão me impele,
contra as veredas do Teu calor!

Sorvo o Desejo que escorre,
enquanto o gemido morre,
prisioneiro da boca selada!

A troco de nada,

vestimos o corpo com o corpo,
matamos a madrugada,
selamos o Beijo na boca selada,
damos as mãos à alvorada

e amamos-nos outra vez,
até ao cair do Sol!

Andy
 
Ardente!!

Quanto vale um comentário... e umas folhas de chá!

 
Hoje acordei assim, com azia! Mas também tenho direito
Não sou pessoa de fazer ondas, reger a minha vida em saber ser e estar, é sempre um dos meus primordiais objectivos. Quando leio por aqui certas coisas, penso que afinal, Eles existem! ...Ai existem, existem!! Receber uma crítica, é algo que todos nós devemos, saber aceitar, faz parte do crescimento como pessoas que somos e com as críticas, podemos aprender e melhorar, mesmo quando a crítica não é construtiva, aí, aprende-se, como NÃO devemos agir para com os outros! ...Mas eu consigo aceitar coisas para além das críticas (ainda se lembram do ínicio?... Pois, não sou de fazer ondas), aceito quando me dizem que só sei escrever sobre o Amor (existe por aqui alguma obrigatoriedade?!), aceito quando dizem que escrevo lamechices , não faz mal eu gosto de as escrever, mesmo! ...Aceito (e agradeço) quando em jeito de crítica, constructiva, me dizem que me excedo nos duplos pontos de exclamação e que é inestético (obrigado Valdevinoxis! ...penso que melhorei) ...e até já aceitei por aqui outras coisas, graves, que derivado a minha maneira de ser, deixei passar em branco.
A todos vós que possam ler, esta minha incursão, fora do Amor e da "lamechice", e a todos os outros que não irão ler (não quero que digam que excluí alguém) quero escrever-vos, que estou grato pelas vossas leituras e muito grato pelos vossos comentários, mesmo! E quero que saibam que o vosso comentário, para mim, têm muito valor! ...E tanto valor tem o comentário do Tobias, táxista, que está aqui porque adora escrever o que vê na rua, mas ao qual a pouca instrução, prega partidas na escrita, mas que gosta (ou não) do que lê, e comenta,
"-Têm esse direito, não tem?
-Têm!
-Pode comentar?
-Pode!
-Mesmo que dê erros?
-Sim!
-Mas isso não é crime?
-Não!
-E pode ter uma só palavra?
-Pode!
-Então não vai preso?
-Vai!!
-E quem o prende?
-Os pobres de espírito!
-Então o que fazer Professor?
-Aborte!"
como igual valor, têm o comentário do Professor, Doutor (não sei se existe por aqui algum), licenciado em línguas em 7 universidades e que comenta, dissecando gramaticalmente cada verso! ...são comentários para mim de igual valor, pois são feitos na sinceridade plena do Ser, e como sabemos (não todos pelo que tenho apreciado), cada um de nós têm a sua forma de comentar, de escrever, de pensar e de sentir, é um direito que nos assiste enquanto Pessoas! ...Mas cada um de nós, têm o dever de respeitar os outros! ...A nossa liberdade deve terminar, onde começa a liberdade do próximo! Isso é saber estar! Jamais a instrução, será sinónimo de educação! Quando leio palavras de pessoas que frequentam este espaço, dizer que o mesmo não têm valor, questiono-me, "o que andam então, aqui a fazer?!"
Eu não sou escritor, não sou Poeta... profissionalmente falando, mas não cuspo no prato onde como! Este é o único sítio onde escrevo, um dia, alguém virá aqui e vai ler as "lamechices" que escrevo e me convidará "-Quer publicar um livro?" ...responderei,"-Não obrigado; prefiro escrever um, em cada dia que passa!"
...ah! e sou pai e também já plantei muitas árvores
Obrigado a todos, os que tiveram a coragem de não abandonar o texto a meio (ou será crónica??)
e que o suportaram até ao fim, a vós fica a minha mensagem, um comentário pode ser curto para quem escreve e ser uma benção enorme para quem recebe!

Abraço!

Andy
 
Quanto vale um comentário... e umas folhas de chá!

Solto-me..., aprisiona-me!

 
Solto-me..., aprisiona-me!
 
Solto-me,

no Vento que me abraça!

Solto-me,

porque quero ser Teu prisioneiro

e sentir em mim por inteiro,

os grilhões do Teu Amor!

Prende-me por favor!

Encarcera-me no Teu olhar,

deixa-me louco, alucinado!

Perdidamente perdido, inebriado,

nas masmorras do Teu Ser!

Se morrer, quero morrer,

a Ti acorrentado,

aguardando a Noite da vida ao Teu lado...

por agora, solto-me, no Vento que passa,

neste Sol que me abraça,

esplendor do Teu Sorriso!

...Aprisiona-me! É tudo o que eu preciso!

andy
 
Solto-me..., aprisiona-me!

Indecente

 
Sinto-Te!
Sinto o Teu Desejo!
Essa fome de mim que o Teu corpo lateja...
verte! Deseja!
Que em mim a Tua fome se sacie.
Aguardo-Te...
Indecente!
Fêmea quente,
Mulher pura...
sem medos ou pudores!
Aguardo, que troques essas dores,
pelo prazer de me teres!
Aguardo,
fazer-Te minha posse
e extasiado, sentir doce
as gotas de prazer que Te escorrem pelo peito.
E sinto-Te,
despida de tudo, até de preconceito,
vestida apenas de Desejo...
solto um beijo
e aguardo a Tua proposta
...Indecente!
Repleta dos nossos desejos.

Andy
 
Indecente

Pó de Estrelas

 
Lanço ao ar pó de estrelas...
para que o vento mo devolva
o faça cair em mim
e eu volte a ser brilhos
sorrisos
abrigo da Alma...

da minha própria Alma.

Lanço ao Mar...
a noite que tenho na minha mão.
Olhar, de Lua, apagado
vestido de solidão.

Lanço-me aos pés do meu coração...
e fico prostrado
a recordar o céu outrora estrelado
o Mar num vai e vem sussurrado
e o Amor na palma da mão.

Sinto-me silenciado
pelo Tempo parado
pela vida que olha de soslaio
e pelas Palavras espalhadas no chão!

Amanhã, veste me de Sorrisos
faz-me Brilho ousado
pois ainda tenho, Pó de estrelas na minha mão!!

Andy
 
Pó de Estrelas

Encanto

 
Encanto
 
Encanto.

Porque as Palavras são Sentidos,
são mel que adoça a boca,
são Sentir que encanta!

São Querer que canta,
mais alto que qualquer razão!

Encanta a minha mão,
que escreve,
que sente sem tocar,
a minha mão que é Mar
que Te deslumbra!

Encanto,
quando dispo o manto de Ternura,
e me visto de loucura,
possessão plena!

No fundo,
encanto,
é tudo o que brota de Ti
e me mantêm assim,
encantado,

pela beleza da Tua simplicidade,
do Teu ser majestoso de Mulher!

Andy
 
Encanto

O mendigo que encantava cães

 
O mendigo que encantava cães
 
Vestes-te de andrajos,
sempre diferentes, mas sempre andrajos,
estás sempre no mesmo sítio,
és sempre o mesmo,
apenas as esquinas mudam,
os cães, esses, também são sempre os mesmos!

...Vão sempre à tua mão estendida,
os que não vão, ladram de modo sobranceiro,
para as agruras da vida,
roem os próprios ossos
e passam sem parar!

Ainda assim, sabem que estás ali,
é o teu encantamento, que os faz sentir-te!
Ignoram-te, mas sentem-te!

Hoje não ladrei,
nem tão pouco, deixei os restos,
na tua mão estendida,
a mão, com que consegues esse encantamento,
hoje, deixei a minha mão na tua mão,
quando a estendeste,
disse bom dia e tu sorriste,
sorrir de alma, encantado!

Não volto a ladrar!
...De qualquer forma, encantas!

andy
 
O mendigo que encantava cães

Descompassadamente!!

 
Descompassadamente!!
 
Escasseiam as Palavras!
Vãs!
Mediocres!
Como se, as letras fossem esquivas!
...Escasseiam-me todas as Palavras,
porque este Sentir que me entregas,
é imenso!

Universo de Sentimentos!
Tu Amor, és Universo em plenitude!

Na imensidão da Ternura do Teu Ser,
estou abrigado!
Sorrio, ternamente inebriado,
eu Homem-menino, louco apaixonado!

Venha a Noite e os dias cinzentos!
Os vales da vida e os homens de maus intentos!
Venham!! ...Não tenho medo!!
Quem Ama e é assim Amado,
só consegue ser feliz!

Nas Palavras que me escasseiam,
nos dedos que não sabem o que escrever,
o Coração, o meu Coração,
derrama-se perante Ti,
num gesto pleno de Amor puro
e descompassadamente, Ama-Te para sempre!!

Andy
 
Descompassadamente!!

Fecha os olhos

 
Adoro-Te...
os meandros desta Paixão,
tornam-me num ser confesso.

Sinto-me como se todo o céu,
fosse meu...
mas apaixonei-me apenas por uma Estrela!

Sinto-Te Sol,
alvorada dos meus Sentidos,
que me faz desejar a Tua voluptuosidade...

que me faz trajar de sensualidade,
quando sinto as minhas mãos
nas Tuas ancas, ...despidas,

nuas de vontade própria,
ansiando entregarem-se,
a tudo o que Te faço sentir!

Cair,
nas veredas da Tua pele
e deixar que o Desejo sele,
os corpos e as Almas!

Fecha os olhos...
esquece as Palavras lidas,
esquece o tudo o que vês
e vê apenas tudo o que sentes!

...Ainda que seja um simples abraço,
o meu abraço!

Andy
 
Fecha os olhos

Grito!!

 
Grito!!
Porque em mim o Amor existe!

Amor abnegado, mas louco, que não desiste,
que não desiste de Te Amar!

Soa o Teu nome no meu respirar.
Passo a passo, eu sinto-Te Mar,
...aquele que me salga nos lábios o beijo,

no fundo existe sempre o Desejo,
de ser tomado no Teu ondular!
Salga-me Mar!

No beijo molhado que me entregas,
nas Tuas ondas que me abraçam,
eu deleitosamente me deleito

e deixo de mim o grito soar
...Amo-Te Mar!

Andy
 
Grito!!

Suave

 
Suave..., suave é como chegas

e invades,

invades como brisa as planicies douradas,

que faz baloiçar as espigas,

numa dança arritmada, ...suave,

sem Tempo, sem dia ou noite!

Sussurras..., suavemente

e deixas o teu cheiro de campo de Alfazemas,

repleto duma Alegria Lilás sem fim,

que me faz Sonhar!

És suave, muito suave,

Brisa Doce, ...que nem as folhas secas,

consegues fazer restolhar!

Suavemente, me embalas, me fazes sorrir

e eu sinto-me protegido

e de amores vencido,

na fortaleza da tua suavidade!

Suave, é como chegas...e me levas contigo!!

andy
 
Suave