http://www.luso-poemas.net/modules/smartsection/item.php?itemid=3049
Manuel Laranjeira : Vendo a morte
em 05/01/2011 20:44:25 (2817 leituras)
Manuel Laranjeira

Em tudo vejo a morte! e, assim, ao ver
que a vida já vem morta cruelmente
logo ao surgir, começo a compreender
como a vida se vive inutilmente...

Debalde (como um náufrago que sente,
vendo a morte, mais fúria de viver)
estendo os olhos mais avidamente
e as mãos prà vida... e ponho-me a morrer.

A morte! sempre a morte! em tudo a vejo
tudo ma lembra! e invade-me o desejo
de viver toda a vida que perdi...

E não me assusta a morte! Só me assusta
ter tido tanta fé na vida injusta
... e não saber sequer pra que a vivi!

Manuel Laranjeira (1877-1912)


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 05/01/2011 20:47  Atualizado: 05/01/2011 20:47
Administradora
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2005
 Re: Vendo a morte - p/todos
Olá amigos do Luso, todos já podem enviar os poemas de Manuel Laranjeira.

Até mais ler...

Helen De Rose

Links patrocinados

Visite também...

Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...