https://www.poetris.com/



« 1 2 3 (4)


Re: “Dá-me-uma-tusa” Humano-descendente
sem nome















(Humano-descendentes)
















São concomitantes as falhas na luz nos espíritos de cada um de nós com a falta de almas evidentes e com luz que não seja intermitente, existências exógenas, sem progresso nem aprendizagem neste vago universo, tão em voga, tão falado como tema contemporâneo, o baldio rasteiro transforma-se em ambiente pantanoso e pouco sadio, pouco culto e é onde infelizmente se instalam nas lixeiras sujas as porcas seitas, deslavosas e pavorosas imundices que se propagam e propagueiam, pavoneiam com as mais rafeiras, reles intenções, se extinguem as luzes da ribalta e invertem cultas leis, cânones sagrados “per saecula saeculorum”, por tempos infindáveis, fez-se “tabula” rasa de princípios profundos, endógenos, seculares e saudáveis de coeva convivência com o nosso edificado condómino, o planeta, o sistema astral, a mãe Terra. Os fins julgados convenientes são o abastecimento de riqueza infinita a alguns em prejuízo das colossais maiorias que nem o sustento mínimo conseguem alcançar, mante-los exclusivamente focados na mera manutenção da continuidade, na fraqueza dita evangélica, seja talvez e é porventura um propósito objetivo maior e não mera casualidade ou apenas ganancia simples pelo poder, mas o perpetuamento da sujeição, da obediência cega de muitos no interesse dos muito poucos, de alguns seres “in substantivos”, nada obstante agregarem miséria e morte, ingratas ao toque mas que se palpam constantemente, consistentes se cheiram nos umbrais nauseabundos das mansões e nos portões das residências de luxo de cardeais e bispos mal ordenados, apinhados de defuntos mortos e moribundos não apenas de consciência, total é o genocídio, bárbaro, desumana perpetuação do poder maligno, perverso de algumas minoritárias e suínas seitas sobre todos nós, descrentes, pouco sólidos em nós mesmos, culpados humano-descendentes.































Jorge Santos (23 Fevereiro 2021)




























https://namastibet.wordpress.com

http://namastibetpoems.blogspot.com






















Criado em: 31/3 17:33
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: “Dá-me-uma-tusa”
Colaborador
Membro desde:
1/5/2012 3:18
De Belo Horizonte
Mensagens: 720

Criado em: 1/4 21:38
_________________
O grande conflito ocorrido na constelação de Órion iniciado na primeira encarnação do universo de livre arbítrio foi o evento mais importante e inédito de toda a história cósmica. Suas consequências estão intimamente ligadas a todos os desdobramentos d...
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: “Dá-me-uma-tusa”
Subscritor
Membro desde:
18/8 15:19
De Azeitão, Setúbal, Portugal
Mensagens: 1122
Open in new window

Criado em: 24/11 20:18
_________________
Jorge Santos/Joel Matos
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: “Dá-me-uma-tusa” Humano descrente
Subscritor
Membro desde:
18/8 15:19
De Azeitão, Setúbal, Portugal
Mensagens: 1122
Open in new window

Criado em: 24/11 20:21
_________________
Jorge Santos/Joel Matos
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Pangeia e a deriva Continental
Subscritor
Membro desde:
18/8 15:19
De Azeitão, Setúbal, Portugal
Mensagens: 1122

































Cada um de todos nós é todo'mundo,
Arcaicos costumes me preenchem
Dos outros, em todos nós ex-votos
Quotidianos de quem agora me não sei ser,

Nem todos ou cada um e um só outro,
Cada um no mundo sou só eu, anónimo
Grego, incubado Inacabado de alma,
Falso devoto de mim próprio, permanente-

-Mente descalço, infecundo, feito mudo face ao
Que me falta, não me termino, me completo
Nos outros, os outros não me prolongam
Por fim, lastimo não ser eu todo o mundo,

Se todo mundo meu me ignora ou não ser
No fundo eu quem desconhece ser outros
Ness'outros modos, estados d'alma puros,
Quem me dera não ser eu apenas, um só

Eu, todo eu e em tudo e em mais ninguém
Nesta terra pouco larga, redonda achatada
E defunta, morta para não dizer ferida de morte,
Rachada a chamas, sem sorte a chamada veio

Do bailéu e eu preso no veio da poita funda,
Fundido em cobre, quem nasce em signo
D’ pobre jamais se aceita nobre, caduco
-Pleonasmo da má sorte, assim como

Cada um ser um mundo e não aquilo
Que se espera do tamanho com que
Cada um faz-de-conta, a noção de pouco,
Ser menor que nada.


























































































Criado em: 6/12/2021 17:40
_________________
Jorge Santos/Joel Matos
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: “Dá-me-uma-tusa”
Colaborador
Membro desde:
1/5/2012 3:18
De Belo Horizonte
Mensagens: 720

Criado em: 6/12/2021 18:18
_________________
O grande conflito ocorrido na constelação de Órion iniciado na primeira encarnação do universo de livre arbítrio foi o evento mais importante e inédito de toda a história cósmica. Suas consequências estão intimamente ligadas a todos os desdobramentos d...
Transferir o post para outras aplicações Transferir







Links patrocinados