https://www.poetris.com/



« 1 (2) 3 »


Re: A respeito do teu deus - politeísmos
Colaborador
Membro desde:
6/11/2007 15:11
Mensagens: 1915
Até te fica mal citares George Orwell, neste caso... Nem que seja apenas no título.

Bonita capa contudo, terá sido feita pelo escritor? Um bocado bélica, estilo cruzadista, mas há gente que só sabe viver em guerra.

Respeito sempre, para ser respeitado.

Venham outros, muitos, falar de religião...
Tornar o assunto pedagógico.


Criado em: 16/7 17:46
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: A respeito do teu deus - politeísmos
Super Participativo
Membro desde:
1/5/2012 3:18
De Belo Horizonte
Mensagens: 118
Poderias esclarecer por favor porque citou George Orwell?
Não vejo relação nenhuma com o conteúdo do livro, que na verdade é todo de origem mediúnica.
Desculpe minha ignorância ao perguntar como o título se relaciona com George Orwell? Nunca li nada sobre a pessoa citada.
Cito outro exemplo. Existem inúmeros livros com o título "Coronavírus", cada um com um foco diferente, mas com o mesmo título. Eu mesmo escrevi 4 livros sobre o mesmo título, 3 foram bloqueados e 1 apenas colocado a venda. Os livros foram bloqueados, pois foram censurados pela editora.
A guerra de Órion é um fato universal e não pertence a autor nenhum, assim como "A primeira guerra mundial", "A segunda guerra mundial". Assim, já temos inúmeros livros de autores diferentes sob o título "A terceira guerra mundial". Os americanos amam ler sobre "O governo secreto do mundo", assim, os livros de autores diferentes com o mesmo título se multiplicam e estou entre eles, contudo abordo o assunto de forma diferente e com muitas informações. A minha editora é muito séria, por motivos diversos ela bloqueia um livro ou pede confirmação de autoria, ou se acha trechos de livros publicados gratuitamente, pergunta-me se foi eu quem publicou. Nenhum título que publiquei nunca foi questionado ou relacionado a outro autor. Por isso que estranhei você citar George Orwell.

Criado em: 17/7 14:06
_________________
No desamparo familiar surge a luz do acolhimento.
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: A respeito do teu deus - politeísmos
Super Participativo
Membro desde:
1/5/2012 3:18
De Belo Horizonte
Mensagens: 118
O conteúdo do livro A guerra de Órion é diferente, embora o ponto em comum seja uma guerra a nível interestelar ocorrido na encarnação passada do cosmos.
Este fato pode ser acessado através da memória da célula, pois a síntese individual das vivências não se perde. Assim, teremos diversos autores falando sobre o mesmo assunto, porém, com foco bem diferente, este foco é a síntese individual. De qualquer forma agradeço a indicação, é sempre bom conhecer o foco de outro autor e perceber os pontos em comum.

Criado em: 17/7 15:41
_________________
No desamparo familiar surge a luz do acolhimento.
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: A respeito do teu deus - politeísmos
Colaborador
Membro desde:
6/11/2007 15:11
Mensagens: 1915
Longe de mim ser um especialista em Orwell.

Lembro-me do Boxer ter escolhido o perfil em função duma descrição de Orwell acerca duma personagem do Triunfo dos Porcos, romance, em que Boxer era o cavalo da quinta. Houve algo na descrição que seduziu o nosso professor.

A lembrança que tenho do Triunfo é dum filme em animação que vi na televisão, ainda em adolescente.
É um clássico da literatura norte-americana e, creio, da literatura mundial.
Como a ditadura dos Porcos prevalece, não é um romance que acabe bem.
Cabe bem, sim, a metáfora à sociedade dos homens, a escolha dos porcos como classe política dominante e como a quinta é uma personificação magistral de toda a nossa sociedade actual, ainda que tenha sido escrito em meados do século passado.

Contudo, para mim, Orwell, que o Sidney tem o direito de ignorar (existem tantos outros autores doutra qualidade para ler), é o 1984.

Resumindo, o 1984 passa-se numa sociedade alternativa, em que Orwell em 1949, ano de publicação, aborda e cria o conceito de Big Brother. A supervigilância.

Imitando os regimes ditatoriais, tem uma personagem que, em vez de vodka, afoga as suas mágoas em Gin, tendo a plena noção de que é observado em própria casa, a cada segundo, por um sistema complexo de câmaras.

Tinha um lado futurista, complexo, brilhante.

Aborda os subtemas a que fiz referência em intervenções anteriores, sobretudo relacionadas com o humanismo secular.

Daí podemos incluir Orwell neste fórum.

O papel que a linguagem tem no nosso saber.
Que o vocabulário é peça fundamental do nosso pensamento, que é necessário expandir, para que a liberdade seja um direito, é que é a peça chave do 1984, e que me leva a achar Orwell impreterível.

Aconselho-o vivamente, Sidney, ou Sendo, já que mostra o meu argumento dum modo que eu nunca conseguirei fazer.

Aquele abraço.

Criado em: 21/7 6:16
_________________
Sou fiel ao ardor,
amo esta espécie de verão
que de longe me vem morrer às mãos
e juro que ao fazer da palavra
morada do silêncio
não há outra razão.

Eugénio de Andrade

Saibam que agradeço todos os comentários.
Por regra não respondo.
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: A respeito do teu deus - politeísmos
Super Participativo
Membro desde:
1/5/2012 3:18
De Belo Horizonte
Mensagens: 118

Bonita capa contudo, terá sido feita pelo escritor? Um bocado bélica, estilo cruzadista, mas há gente que só sabe viver em guerra.

Como julgastes a capa, lhe desafio a julgar o conteúdo do mesmo.

Criado em: 24/7 18:36
_________________
No desamparo familiar surge a luz do acolhimento.
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: A respeito do teu deus - politeísmos : TÓPICO LIXO!!!
sem nome
Puta falta de respeito, essa merda de tópico.
E quando diz que

Citando:
. Se deus é todo poderoso, porque é que o mal acontece aos tementes, o sofrimento, as desgraças em geral?


Esquece que Ele nos deu o livre arbítrio??? Logo, pq Culpa-lo de erros que são nossos? Que infantilidade é essa?

Negar a Deus, é quase burrice.. afinal, como vai esclarecer coisas complexas, como.. o corpo humano? Ou.. qualquer corpo que seja? Animal, vegetal..
Vai dizer oq?
Foi o Bill gates? O Trump? Galileu? A puta que te pariu?

Antes de Nega-lo, deveria obter respostas.. não contos de padres e afins..
Pra um contestador que questiona somente a capa do livro e não do seu conteúdo, vc é bem medíocre.. pra não dizer um palavrão, claro.



Outro tópico lixo!


PS: se foder, viu?

Criado em: 28/7 2:14
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: A respeito do teu deus - politeísmos
Colaborador
Membro desde:
6/11/2007 15:11
Mensagens: 1915
Suponho que TarOss seja outra divindade nórdica como Odin, ou Loki?
Estarei a falar com alguma divindade?

Sim, falar abertamente sobre a espiritualidade e sobre religiões, pode ser um tópico que muitos pensam ser lixo.
Falar abertamente sobre maneiras diferentes de pensar, ou sentir deus, pode ser lixo para muitos.

Falar sobre o respeito pelo pensar, ou sentir dos outros, pode ser também lixo.

Em última análise, falar, pensar ou escrever, pode ser lixo.

Utópico, é pensar que todos temos de pensar deus da mesma maneira.

Eu gosto de utópico.

Utopia é uma forte base para o meu motivo para estar neste site, e escrever alguns textos, que poucos consideram, ou deveriam considerar, poesia.

A enunciação dos motivos pelos quais um crente pode deixar de ser, ficou muito incompleta.
Deixada à superfície, para que outros possam intervir.

Eu sei que choco muito os outros com o meu ateísmo.
Não é minha intenção, mas não quero saber o que os outros possam achar a esse respeito.

Respeito todas as religiões, e seus crentes.
Procuro conhecer um pouco delas, o mais básico em função de serem tantas. Manter-me informado, digamos.

O livre arbítrio é mais um bom assunto para utópico. Perdão, para um tópico, para um fórum.
Acho que vou iniciar um.

Assim, por alto, o nosso poder de decisão, que penso ser esse livre arbítrio, está na nossa vida colocada de forma muito ilusória.

Não acho que haja alguma entidade superior a fazer as escolhas todas por nós, nem que o destino seja algo real.

Penso que somos o produto de influências exteriores, que nos condicionam. Muitas vezes sem sabermos, ou repararmos.
Os estudo feitos pela publicidade, ou pelo marketing, são um exemplo claro disso.
Achamos que compramos, ou decidimos comprar por necessidade, quando na verdade somos induzidos nessas compras por anúncios, muitas vezes fraudulentos.
A propaganda política, condiciona as decisões de voto.
Achamos que estamos a escolher livremente, quando na realidade há máquinas de comunicação social oleadas, extremamente bem preparadas, que influenciam o nosso sentido de voto.
Mesmo que achemos que nada o faz, tudo o faz.
Os conselhos da família, nas escolhas mais variadas do nosso dia-a-dia.
Achamos ser únicos (até penso que o somos), mas vestimos segundo uma moda, usamos a tecnologia que nos é imposta. Compramos os carros que nos vendem, rezamos as rezas que nos ensinam desde crianças.

Chegando a esse ponto, a nossa religião começa ao primeiro ano de vida no baptizado. Imaginemos na religião católica, é claro. Ainda não sabemos falar e já vamos à missa todos os domingos e ouvimos falar em deus todas as semanas.
Uma vez por ano, no Natal, mesmo os islâmicos (um pouco hipócrita, isto) trocam prendas e comemoram um nascimento.
Os brinquedos que os outros também têm, e que esperamos 365 dias para ter.

O livre arbítrio é uma ilusão necessária, sobretudo em regimes democráticos e em que é o povo (a maioria) que escolhe o governante.
Nas monarquias absolutistas, não havia livre arbítrio. Fazíamos o que o reizinho queria.

Como nas ditaduras comunistas, ou nas fascistas. Pensar diferente e escolher diferente, é ser preso político e torturado até à morte.

Como na inquisição. Já ouviu falar?
O livre arbítrio, nesses tempos de ouro da igreja, era, se escolhêssemos pensar, ou questionar livre-mente as sagradas escrituras, como fez Galileu Galilei (gosto da sua teoria baseada no uso do telescópio que inventou para provar que a Terra anda em volta do Sol e não o contrário, e que é redonda), o mais provável era sermos condenados à morte pela fogueira, ou por afogamento.

Ainda ontem falei com alguém que me dizia que deus é energia. Que assume vários nomes.

Acho que é, sobretudo, um produto da nossa crença. Faz parte da nossa cultura. Está na nossa comunicação, isto é, na nossa linguagem.
Mas, para além de isso, e para além de justificar os fenómenos que damos o nome de miraculosos, acho que é um modo de nos sentirmos menos sós.

Obrigado a TarOss pela participação e por manter o utópico vivo...



Criado em: 28/7 6:16
_________________
Sou fiel ao ardor,
amo esta espécie de verão
que de longe me vem morrer às mãos
e juro que ao fazer da palavra
morada do silêncio
não há outra razão.

Eugénio de Andrade

Saibam que agradeço todos os comentários.
Por regra não respondo.
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: A respeito do teu deus - politeísmos
Colaborador
Membro desde:
6/11/2007 15:11
Mensagens: 1915
Em relação à sugestão do Sydnei, agradeço a oferta que gentilmente me fez, mas não estou disponível para ceder o meu e-mail, a ninguém, por motivos pessoais.

Se a sua editora lhe permitir, publique no Luso e eu prometo que lerei, no início, algumas páginas, para ver se é do meu interesse o tema.

Ainda tenho alguns livros na minha estante para ler.
Se avaliei a capa, é porque a mostrou.
Se a não tivesse mostrado no Luso nada diria.
Para o meu e-mail pessoal, não iria.

Aquele abraço.

Criado em: 28/7 6:21
_________________
Sou fiel ao ardor,
amo esta espécie de verão
que de longe me vem morrer às mãos
e juro que ao fazer da palavra
morada do silêncio
não há outra razão.

Eugénio de Andrade

Saibam que agradeço todos os comentários.
Por regra não respondo.
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: A respeito do teu deus - politeísmos
sem nome
Rogério,
Eu não vou te responder pq me faz mal, lidar com gente da sua laia..
É sério.
Não tenho tanto estômago, pelo menos, agora, rs

Criado em: 30/7 4:47
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: A respeito do teu deus - politeísmos
Super Participativo
Membro desde:
1/5/2012 3:18
De Belo Horizonte
Mensagens: 118
TarOss- Creio que nem de longe és Cristão, pois deveria pensar no perdão e amor que são mandamentos no Cristianismo. Lá diz... Amai vossos inimigos.
Suas palavras insinuam ódio e ressentimento, mas principalmente intolerância religiosa.
Por intolerância religiosa quanto sangue ainda precisa ser derramado na terra?
Jesus veio nos falar do amor, longe ficou o dente por dente e olho por olho.
Não entra na minha cabeça... Como alguém pode falar de Deus mandando seu semelhante a puta que pariu?

Criado em: 30/7 18:52
_________________
No desamparo familiar surge a luz do acolhimento.
Transferir o post para outras aplicações Transferir







Links patrocinados