https://www.poetris.com/





Páscoa...
Colaborador
Membro desde:
8/12/2008 15:15
De Vila Viçosa
Mensagens: 3906
Não me apetecem amêndoas nem ovos da páscoa, este ano até o Inverno se atrasou, as nuvens escuras, o vento agreste anunciam tempestades tardias, como tardios são os abraços, os agradecimentos por se estar vivo e ter com quem partilhar desentendimentos e alegrias.
Nesta Páscoa não reconheço fraternidade, apenas saudações ditadas pela rotina. É Natal então que se enviem milhentos cartões em outras tantas mensagens mais ou menos hipócritas, na Páscoa, no dia do pai, da mãe do aniversário a mesma rotina. E o resto do ano?
Que é feito da amizade, da boa vontade, reconhecimento e igualdade, trancamo-lo a sete chaves no baú da má vontade, da vaidade e da inveja.
A inveja que nos move a causar mau ambiente, a má vontade que nos faz olhar para o nosso umbigo, numa má-língua despropositada de valores tão própria às terras lusas.
Não me apetecem amêndoas recheadas de snobismo incauto, deixando sempre o rabo preso num agoniante desleixo, a falta de cuidado no correr apontando os dedos esquecendo sempre que mais dia, menos dia, esses mesmos dedos são a pedra tumular que nos sepultará no ridículo.
Não me apetecem amêndoas recheadas de nada, nesta páscoa ofereçam-me o direito de errar, o direito a ter os meus defeitos, mas ofereçam-me a igualdade de julgar os erros e os defeitos alheios.
Quem nunca pecou que atire a primeira pedra, um dos ensinamentos de Cristo.
Nesta páscoa ofereçam tolerância, amizade sem cobranças, recebam o pouco que cada um tem para dar com a mesma alegria com que oferecem um ovo recheado de pequenos nadas.

Uma boa páscoa para todos que ao longo do ano estão comigo de alma e coração, que se alegram com os meus pequenos triunfos e se entristecem com as minhas escorregadelas, numa amizade por vezes virtual mas cheia de significado.
Antónia Ruivo

Criado em: 5/4/2012 13:52
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Páscoa...
sem nome
Antonia, tudo se resume e muito bem no seu texto. Mas, o homem foi abraçado pelo vírus do individualismo, ou age em represália pelo que lhe é imposto nessa contemporaneidade. E assim, perde a cada dia a capacidade de análise e de querer entender das necessidades mais profundas do bom convívio com seus semelhante, até mesmo nem mais com os seus mais próximos. Salve a palavra! Boa Páscoa!

Criado em: 5/4/2012 20:02
Transferir o post para outras aplicações Transferir


teste
sem nome
só um teste.

Criado em: 16/6/2012 19:50
Transferir o post para outras aplicações Transferir







Links patrocinados