https://www.poetris.com/





Curiosidades escondidas nos arquivos da Torre do Tombo
Luso de Ouro
Membro desde:
2/3/2007 19:42
De Queluz
Mensagens: 3857
Do Arquivo Nacional da Torre do Tombo - Lisboa

SENTENÇA PROFERIDA EM 1487 NO PROCESSO CONTRA O PRIOR DE TRANCOSO·

(Autos arquivados na Torre do Tombo, Armário 5, Maço 7)

"Padre Francisco da Costa, prior de Trancoso, de idade de sessenta e dois anos, será degredado de suas ordens e arrastado pelas ruas públicas nos rabos dos cavalos, esquartejado o seu corpo e postos os quartos, cabeça e mãos em diferentes distritos, pelo crime que foi arguido e que ele mesmo não contrariou, sendo acusado de ter dormido com vinte e nove afilhadas e tendo delas noventa e sete filhas e trinta e sete filhos; de cinco irmãs teve dezoito filhas; de nove comadres trinta e oito filhos e dezoito filhas; de sete amas teve vinte e nove filhos e cinco filhas; de duas escravas teve vinte e um filhos e sete filhas; dormiu com uma tia, chamada Ana da Cunha, de quem teve três filhas, da própria mãe teve dois filhos.
Total:duzentos e noventa e nove filhos, sendo duzentos e catorze do sexo feminino e oitenta e cinco do sexo masculino, tendo concebido em cinquenta e
três mulheres".

E agora vem o melhor:

"El-Rei D. João II lhe perdoou a morte e o mandou pôr em liberdade aos dezassete dias do mês de Março de 1487, com o fundamento de ajudar a povoar aquela região da Beira Alta, tão despovoada ao tempo, e mandou arquivar os papéis da condenação."

Mas também existe esta versão que reza assim:

"El-Rei D. João II lhe perdoou a morte e o mandou pôr em liberdade aos dezessete dias do mês de Março de 1587,
com o fundamento de ajudar a povoar aquela região da Beira Alta, tão despovoada ao tempo e, em proveito de sua real fazenda,
o condena ao degredo em terras de Santa Cruz, para onde segue a viver na vila da Baía de Salvador como colaborador de povoamento português. El-rei ordena ainda guardar no Real Arquivo esta sentença, devassa e mais papéis que formaram o processo".


Open in new window





Nem sei o que diga... e vocês o que acham?!

Criado em: 19/6/2012 15:43
_________________
*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Curiosidades escondidas nos arquivos da Torre do Tombo
Colaborador
Membro desde:
31/3/2008 18:45
De Braga
Mensagens: 8204
Porque acabei de ler um poema dedicado ao advogado, que me chocou, sobretudo pela ignorância que motiva tais textos, e agora ao ler este, acho por bem fazer uma comparação entre o hoje e o ontem. O advogado não legisla, apenas faz uso da lei para defender os interesses do seu cliente, e o que é certo é que o advogado também não se substitui ao juiz. Há na lei actual um cuidado especial na protecção dos interesses dos cidadãos, onde a máxima é "in dubio pro réu" e que na maior parte dos casos nem é aplicada, existindo ainda requisitos legais que muitas vezes são usados como expedientes dilatórios assim como normas sobre prescrição que por vezes goram a justiça, quer seja a da condenação quer seja a da absolvição. Mas deste texto estávamos exactamente no oposto onde o cidadão podia ser condenado apenas por boatos, e até ficava a ser pai de crianças sem qualquer prova científica, e isto apesar da aberração e completo exagero da acusação; basta ver que uma mulher se ficasse grávida de um padre, ou de alguém repetidamente, de forma pecaminosa, não cabe na cabeça que não fosse logo notada. Neste caso tinha filhos às dúzias e ninguém reparava ou denunciava? Só quando o padre tinha 62 anos, é que houve alguém que se lembrou de acusá-lo? ahahah.
Como é evidente o Rei não era tão burro como quem acusou e julgou o padre, e "perdoou-lhe".
Uma coisa é certa, não difere em muito a mentalidade de antes onde se acusava por motivos fúteis ou mentirosos e se condenava por boatos, superstição e a mentalidade de hoje onde se culpa advogados pelo que na justiça anda mal, tanta vez por mera inveja (tanta vez sem motivo)quando não é o advogado que legisla, ou condena.
Advogado ou poeta tem de fazer o seu trabalho com zelo.
Se o advogado o não fizer é desonesto para com uma pessoa, o seu cliente, já o poeta se o não fizer é desonesto com várias pessoas, ou seja, todos os seus leitores.

Criado em: 19/6/2012 18:32
_________________
RoqueSilveira
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: Curiosidades escondidas nos arquivos da Torre do Tombo
Da casa!
Membro desde:
26/8/2011 13:49
De Brasil-BR (Itinerante)
Mensagens: 374
Nesse sentido, Hippel define que "o efeito retroativo dado à lei penal mais benigna não significa um presente ao criminoso, quando constitui interesse do Estado".

e a piada é;

que constatou-se que o padreco era muito bom de p... e isto é um dom inalienável, mesmo aos 62 anos. além da liberdade, se fosse rei condecoraria-o.


Yan

Criado em: 19/6/2012 20:04
Transferir o post para outras aplicações Transferir







Links patrocinados