https://www.poetris.com/





UM AMOR CHAMADO TIÃO
sem nome
Open in new window



















Fui ao Mercado Central comprar umas coisinhas. Quem não gosta daquele lugar? Comidas, temperos, artesanato, frutas. Lá tem “de um tudo”! Quer uma vela, um banho de descarrego? Lá tem. Material pra fazer um vudu? Lá tem. Hum, hum! E o abacaxi vendido no saquinho? O cara grita o dia todo: “ É mel, é mel!” E é mesmo!
Ah, sabem da lenda da chapa de fazer fígado acebolado com jiló? Pois é. Aquela que garante o sabor inigualável porque a chapa nunca foi lavada? É de lá. O sabor é eterno, porque duraaaa! Com cervejinha bem gelada, é de chorar de bom. Claro que tem mil defeitos, como o estacionamento que é um absurdo, a fama de que os ratinhos fazem a festa na calada noite...
Mas é o maravilhoso e octogenário Mercado Central.
Mas lá tem um lugar que não gosto de ir. É onde são vendidos animais domésticos e aves. Antes era o barulho, o cheiro de cocô, a gritaria, um clima estressante. Faz tempo que não vou, por já ter visto gaiolas entulhadas de pequenas aves, codorninhas especialmente. Passei algum tempo entrando pra ver se isso mudou. Nada...
Hoje voltei. E não é que o raio da lojinha (não era de vodu, não, viu?) ficava bem no final do corredor dos bichos? Então entrei. Como entrar num corredor de horrores. Eu que não sou militante à altura em defesa dos animais, como a bióloga Ana Paula Maciel, brasileira que ficou presa na Rússia por defender ,de maneira ousada, a vida marinha. Eu que não chego aos pés dessa mulher de coragem, também não fico impassível com situações de maus -tratos à animais indefesos.
Lá estavam as codorninhas entulhadas, a gritaria das aves, os cachorrinhos visivelmente estressados. Aí, ops... dou de cara com o Tião. Sim, o Tião, porque a criatura tem cara de Tião. Esse filhote aí, que pra mim, que não entendo de raças, é um belo de um vira-latas. Mexi com ele. Pra quê? O sujeito tratou de me seduzir. Ficou em pé na pontinha das patas, latiu, bateu nas grades. Ah... acho que sorriu. É. Ele sorriu. Fui morrendo assim por dentro. Disse pra ele: “Olha Tião, eu não posso te adotar. Não tenho como cuidar de você agora. Eu sei que eu não tenho mais nem passarinho pra criar. Meus filhotes cresceram...
Mas, onde vai me levar essa paixão, Tião? Heim? Não dá...”
Ele entendeu tudo. Foi se curvando devagarzinho, e se deitou. As patas abertas, o olhar pidão.
Morri mais um pouquinho. E fui embora sem olhar pra trás. Eu sei que eu deixei um amor abandonado antes mesmo de nascer.
O sol ofuscante lá fora foi a melhor desculpa para colocar os óculos escuros. Mas, e o nariz escorrendo?
Ah, Tião...

Sandra Fonseca


PS – Alguém pode ir lá no mercado e adotar (comprar ) o Tião? Ele está no corredor, perto da saída pela rua Santa Catarina.


Criado em: 6/12/2013 23:56
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: UM AMOR CHAMADO TIÃO
sem nome
Belo Horizonte tem alguns lugares que me trás nostalgia e o Mercado Central é um destes lugares, mas a parte de animais não ando ali por considerá-lo um circo de horrores. Minha netinha me pediu um cãozinho, então resolvi ir ver se o Tião ainda está lá.
Abraço de paz e luz

Criado em: 9/12/2013 14:38
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: UM AMOR CHAMADO TIÃO
sem nome
Verdade Sendoluz, o mercado tem várias facetas. A venda de animais ali já devia ter acabado, ou minimamente regularizada e humanizada, se é que isso é possível.
O Tião mobilizou muita gente, despertou muitas paixões, e eu fiquei feliz de poder trazer essa mensagem de reflexão.
Você conseguiu ver o Tião? Gostaria mesmo que fosse alguém conhecido que o tenha "comprado". Voltei lá e ele já não estava, fiquei entre feliz e decepcionada.
Abraço,

Sandra.


Criado em: 13/12/2013 11:40
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: UM AMOR CHAMADO TIÃO
sem nome
Fui lá com minha neta, mas ela começou a chorar de ver tantos animais presos e saiu de lá dizendo que não quer mais nenhum "bicho". Procurei o "Tião" mas não o vi. Um lugar que prefiro ir é no abrigo para cães e gatos lá nas proximidades do bairro Floramar. Já fui lá algumas vezes levar doações, pois lá se acolhe animais abandonados e feridos. É um pouco triste, mas lá você pode adotar um cão ou um gato. Não há lá o comércio com os cães é um trabalho de amor.Tião deve estar feliz por ter conseguido um lar.
Abraço de paz e luz

Criado em: 13/12/2013 15:52
Transferir o post para outras aplicações Transferir







Links patrocinados