https://www.poetris.com/



(1) 2 3 »


o melhor autor do luso
Colaborador
Membro desde:
31/3/2008 16:45
De Braga
Mensagens: 8356
Ola luso poetas.
A titulo indicativo de boas leituras vou efectuar uma lista de bons autores no luso. Assim aceito sugestoes por mensagem privada porque embora eu conheça bastantes autores não os posso conhecer a todos como é óbvio. Agradeço.

Criado em: 11/11/2014 11:15
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: o melhor autor do luso
Da casa!
Membro desde:
16/2/2013 12:27
Mensagens: 234
Esta acesa mais uma fogueira de paixões. Sobre a ardência das chamas da disputa e discórdia arderá a caldeira do diabo.

Criado em: 11/11/2014 11:22
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: o melhor autor do luso
Da casa!
Membro desde:
13/12/2012 17:01
De nesta seara
Mensagens: 469
eu também suspeito que vão aparecer os eus ofendidos.

Criado em: 11/11/2014 11:39
_________________
A gadanha, gadanho ou alfanje é uma ferramenta utilizada na agricultura para ceifar cereais ou para o corte de erva. A lâmina tem aproximadamente 70 cm, com formato curvilíneo e fica perpendicular ao cabo principal, no outro extremo deste.
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: o melhor autor do luso
sem nome


Conceição, eu quero a coroa, o ceptro e um trono de veludo azul para sentar as minhas nalgas monárquicas! eu estou pedindo à você, viu?

Criado em: 11/11/2014 12:43
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: o melhor autor do luso
Colaborador
Membro desde:
31/3/2008 16:45
De Braga
Mensagens: 8356
vocês também só olham para o título chamativo.
Este tópico é apenas para que autores menos lidos e com qualidade apareçam para o prazer da nossa leitura. Por isso mesmo serão autores a sugerir.
A cada sugestão penso fazer uma leitura dos textos propostos e com isso uma pequena introdução ao respectivo autor.
Não é boa a ideia?
Aquazulis tu não precisas de coroa nem trono, tu já és mais que isso, ou seja, um Deus da poesia, aliás sobejamente conhecido e sem precisar de apresentações eheheh.

Criado em: 11/11/2014 13:46
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: o melhor autor do luso
sem nome
ah...! eu também quero... pode ser um chocolate?!

Criado em: 11/11/2014 14:00
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: o melhor autor do luso
sem nome

humm...Deus da Poesia, exagero teu, mas lembra-te que eu não acredito em Deuses, então, como poderia eu acreditar em mim? vá, deixa-te de manteiga, passa pra cá a coroa, o ceptro e o trono!..rs

Criado em: 11/11/2014 14:49
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: o melhor autor do luso
Luso de Ouro III
Membro desde:
29/1/2012 11:43
De Piracicaba - SP
Mensagens: 2153
Epa! Isso cheira golpe.... aqui no Luso, só Amandu é deus. rs....

Criado em: 11/11/2014 15:01
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: o melhor autor do luso
sem nome



rs....boa, Luiz! o Reino a quem de direito!

Criado em: 11/11/2014 15:07
Transferir o post para outras aplicações Transferir


Re: o melhor autor do luso
Colaborador
Membro desde:
31/3/2008 16:45
De Braga
Mensagens: 8356
1. José Roque
nasceu no planeta azul da via lactea 847 anos depois da fundação de Portugal.
Estudou astronomia, nano-tecnologia, literatura e filosofia.
Fundou uma escola de filosofia à maneira clássica onde presta trabalho comunitário dando aulas e faz parte activa de um cine-club que ajudou a fundar.
Busca incansávelmente o conhecimento que tenta aproveitar no seu dia a dia tentando agir sempre com calma, lucidez, bondade justiça e sabedoria, sem dispensar a procura do belo.
É um excelente amigo da família e dos amigos.
É bonito, é meu filho.

um dos seus poemas:

Poemas : Discrepância

O que cala por se fazer ouvir
Ensurdece quem ‘stá a ouvir calado.
Se o que fala não ouve o outro lado
É que nele houve algo a interferir.

Até no silêncio existe mudança.
Há vozes que nos ensurdecem só
De querermos ouvi-las. Há um pó
Que vai caindo, que pesa e que cansa.

A memória é diferente na distância
E há muita distância na memória.
Entre mim e a lembrança a divisória
Que me iguala e que cria a discrepância.

Há um desequilíbrio neste lugar
Onde nada fala e tudo tem voz.
E essa diferença, onde ela é nossa e nós,
Nem o silêncio a consegue calar.




Fonte: http://www.luso-poemas.net/modules/ne ... ryid=104073#ixzz3JMa1vxWb


Criado em: 11/11/2014 20:59
Transferir o post para outras aplicações Transferir







Links patrocinados