https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

QUANDO EU ME FOR EMBORA

 
QUANDO EU ME FOR EMBORA

Quando eu me for embora, levarei comigo

a madrugada e de meu pai, suas mãos rudes,

com que moldava, a golpes incisivos,um tronco
frágil

insubmisso, sempre em sentido vertical.

De minha mãe, não esqueço, a ternura que mandava, disfarçada,

por entre o pão suado e a manteiga. Assim cresci.


Quando eu me for embora, também não esquecerei, os luares

que percorri, envolto em ti, sem precisar de

leito. Assim cresci.


Mais tarde, pouco mais, hei-de lembrar-me daquilo que não fiz.

Mas quando eu me for embora, é porque morri, cá dentro,

por não saber cuidar de ti, amor-perfeito.



arfemo



 
Autor
arfemo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
3708
Favoritos
13
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
190 pontos
84
1
13
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
amandu
Publicado: 12/01/2010 21:04  Atualizado: 12/01/2010 21:04
Colaborador
Usuário desde: 24/03/2008
Localidade: LISBOA
Mensagens: 3651
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
SORTE. TENS SORTE É VERDADE.
O MESMO PODERIA DIZER MAS NÃO O DIGO.
UM ABRAÇO.
AMANDU


Enviado por Tópico
AMICI
Publicado: 12/01/2010 21:05  Atualizado: 12/01/2010 21:08
Super Participativo
Usuário desde: 02/01/2010
Localidade: Lisboa
Mensagens: 137
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Belo e comovente poema! Muito obrigada por partilhar.

Entre uma dor e uma alegria. Entre uma tristeza e uma doce suave sensação.

Beijinho,
Maria


Enviado por Tópico
eduardas
Publicado: 12/01/2010 21:05  Atualizado: 12/01/2010 21:05
Colaborador
Usuário desde: 19/10/2008
Localidade: Lisboa
Mensagens: 3731
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Arfemo,

E Pessoa tão presente.

bj
Eduarda






Enviado por Tópico
jluis
Publicado: 12/01/2010 21:08  Atualizado: 12/01/2010 21:08
Colaborador
Usuário desde: 18/12/2009
Localidade:
Mensagens: 1527
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Um dia, caríssimo Arfemo, o cautautor Pedro Barroso, que tenho como grande amigo, dizia-me: "Caramba, João, gosto da enormidade das tuas palavras simples!"
Pois é. Pois é!.... É assim que vejo e sinto este magnífico "farfalho" de palavras suas. Comoventes.
Obrigado, poeta e amigo, por as emprestar, também, ao meu peito.
Abraço
JL


Enviado por Tópico
Alexis
Publicado: 12/01/2010 21:09  Atualizado: 12/01/2010 21:09
Colaborador
Usuário desde: 29/10/2008
Localidade: guimarães
Mensagens: 7254
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA para arfemo
é do amor que recebemos e do que damos e talvez da amargura do que não soubemos dar e receber que em síntese lembrará a nossa memória final.
belamente dita esta verdade por ti poeta,no teu estilo inconfundível.

beijo,
alex


Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 12/01/2010 21:14  Atualizado: 12/01/2010 21:14
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 9599
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Como são iguais às minhas estas recordações, como se um filme e eu fosse a personagem em crecimento, os
mesmos gestos no pai, na mãe, e assim cresci.
Muito belo e sensível, me emocionei, o mais belo que li hoje.

Beijinho
rosa


Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 12/01/2010 21:15  Atualizado: 12/01/2010 21:15
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15127
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
A ternura que deposita nas palavras é algo surpreendente, caro poeta! lembra-me aqueles romances antigos ingleses! Quando eu crescer quero ser assim, igualzinho a você! Por isso hoje apenas faço-te reverências e beijo-te as mãos! Encantado mais uma vez com tamanha sensibilidade e mestria nessa árdua arte do escrever e encantar quem ousar ler! Abraços, mestre!


Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 12/01/2010 21:24  Atualizado: 12/01/2010 21:24
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11172
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Arlindo,
Um poema que tece com ternura uma vida simples e completa.
Beijo
Nanda


Enviado por Tópico
joseluislopes
Publicado: 12/01/2010 21:26  Atualizado: 12/01/2010 21:30
Colaborador
Usuário desde: 22/03/2009
Localidade:
Mensagens: 3351
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Querido Amigo Arlindo!

Apetece-me dizer-te, que quando fores embora leva-me contigo nessa poesia vertical e de ternura.

Quando fores embora, irás sem ir, por cá ficará quem se lembrará daquilo que nos destes, essa humildade amiga, boa e sincera.

É nestas alturas que sei que nada escrevo, mas dou graças a Deus por tudo ler, e tonto pelos teus dizeres, consigo enxergar as palavras:

- Amigo, não vás ainda! A primavera vem longe.

Um Abraço já com tempo e palavras para ser apertado.

josé luís lopes


Enviado por Tópico
Ledalge
Publicado: 12/01/2010 21:27  Atualizado: 12/01/2010 21:27
Colaborador
Usuário desde: 24/07/2007
Localidade: BRASIL
Mensagens: 6880
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Arfemo,


Muito lindo o poema; também muito aflorado em sensibilidade, diria pueril. São os mistérios da nata poesia.

Parabéns!

Um abraço

Núria


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 12/01/2010 21:39  Atualizado: 12/01/2010 21:39
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
QUe lindo...Mas quando eu me for embora, é porque morri, cá dentro,
por não saber cuidar de ti, amor-perfeito.
sempre faz poesias que cheiram ternura...
abraços
mary


Enviado por Tópico
Sterea
Publicado: 12/01/2010 21:48  Atualizado: 12/01/2010 21:50
Colaborador
Usuário desde: 20/05/2008
Localidade: Porto
Mensagens: 3397
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Enquanto houver madrugadas,
elas lembrar-se-ão de ti
do sol que buscavas, erecto,
na tua ânsia de atingires o dia...
Enquanto houver luz do dia,
ele lembrar-se-á de ti, sedento,
na faina de colheres o horizonte...
Enquanto houver horizontes,
ousarás tingir-te a crepúsculo,
para depois, cumprida a missão,
mereceres o descanso de linhos
que conhecem o perfume do teu corpo...
De manhã, mãos que te querem
ainda saberão o teu gosto
por pão e manteiga...
...e amores perfeitos.

Arfemo, não sei comentar poemas que me inspiram verdadeira emoção, está visto! Sai-me um poema voluntarioso e eu só posso acatar a ordem e escrevê-lo... ai, estas palavras que me dominam!...
Bem, sem figuras, gostei muito.

Só me falta deiar o beijo de muito boa noite..


Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 12/01/2010 21:51  Atualizado: 12/01/2010 21:51
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 12077
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
arfemo

Eu diria perfeito é este poema, suave numa viagem sublime de emoções e sentimentos daqueles que tanto gosto de sentir.

Beijos


Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 12/01/2010 21:56  Atualizado: 12/01/2010 21:56
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Morremos sempre um pouco em cada desilusão,
em cada tristeza que se abate sobre os nossos dias.
Ir embora muita vez... é a forma de desejar esquecer
o que mais amamos ou quiçá... o que mais nos faz falta.
belo
envolvente poema.
Nunca se irá embora porque só se "ausenta" de nós...
aqueles que esquecemos.
abraço, querido amigo
Vóny Ferreira


Enviado por Tópico
ROMMA
Publicado: 12/01/2010 21:59  Atualizado: 12/01/2010 22:01
Colaborador
Usuário desde: 29/10/2008
Localidade:
Mensagens: 2462
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Olá Amigo ArLindo,
o teu escrito não me surpreende :) pois já te conheço bem, para dizer: Soberbo!
Contudo, desta vez não é suficiente e sinto um momento alto. Identifiquei-me nessa imagem que vi enquanto li, é essa tua humildade que me aproxima e me diz que és um Gigante ser humano.
Não vou querer que vás embora, mas se teimares em ir saberei que tens a madrugada como aconchego, ficarei tranquila, e tomara muita gente levar 1/3 dessa tua madrugada! E daquilo que não fizeste e te lembrares, simplesmente sorri, porque estás mais acima, como teu pai insubmisso e tua mãe ternura disfarçada :) e para cuidar do amor-perfeito, saberás dar o que está contigo é só partilhar o amor puro a receber tudo em dobro como reza a lei do retorno.
... e eu,
estarei sempre aqui,
para te ler e ver sorrir!
Um beijo
Tudo de BOM para ti!
Rosa



Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 12/01/2010 22:40  Atualizado: 12/01/2010 22:40
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Maravilhoso... deixou-me sem palavras...!
Bravo!


Enviado por Tópico
LuisaMargaridaRap
Publicado: 12/01/2010 22:52  Atualizado: 12/01/2010 22:52
Colaborador
Usuário desde: 19/08/2008
Localidade: Portalegre - Alentejo
Mensagens: 1512
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Melancólico mas muito belo este seu poema(carta de despedida), gostei imenso de ler tão sensiveis palavras.

beijo


Enviado por Tópico
miriade
Publicado: 12/01/2010 23:56  Atualizado: 12/01/2010 23:57
Colaborador
Usuário desde: 28/01/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 2171
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Vejo um lindo poema, não de despedida, nem melancolia, é uma ode à vida que abraça os sentimentos e nele faz um doce chamego, um agradecimento, um reconhecimento, um perfilhar dos valores legitimos da vida e seus amores. Parabéns.

Beijocarinho, Lu


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 13/01/2010 00:27  Atualizado: 13/01/2010 21:10
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
"Mais tarde, pouco mais, hei-de lembrar-me daquilo que não fiz.
Mas quando eu me for embora, é porque morri, cá dentro, por não saber cuidar de ti, amor-perfeito."

'ser lembrado. pedir demais quando fores, é; virar saudade? só o poema saberá'

não sei o que deu em mim. forma doida de comentar. mas nada mais consegui, Arlindo.

meu abraço amigo e irmão.

Silveira


Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 13/01/2010 00:33  Atualizado: 13/01/2010 00:33
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
São tantas vezes que isso acontece quando te leio,
emudeci diante de tanta beleza. Tu tens o dom de o fazer. beijos e levo


Enviado por Tópico
luciusantonius
Publicado: 13/01/2010 00:44  Atualizado: 13/01/2010 00:44
Colaborador
Usuário desde: 01/09/2008
Localidade:
Mensagens: 670
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Há para mim transcendência neste poema, que temo não alcançar na raiz, mas talvez sim no essencial. Diria que tem um sabor patético o arranque de cada estrofe. Penso no entanto que o que está em causa nessa despedida é essa coisa sublime que é o amor (em todas as suas dimensões) e que valerá tanto como a vida, já que vida sem amor não sei se o é. Porque interpreto assim, quero crer que o amor volte apesar de tudo, e assim o «quando me for embora» não será definitivo. Seja como for esta despedida estará longe e esse é o meu sentido voto. Parabéns por mais um poema tão belamente construído.
O abraço de sempre
Antonius


Enviado por Tópico
Carlos Ricardo
Publicado: 13/01/2010 01:24  Atualizado: 13/01/2010 01:24
Colaborador
Usuário desde: 28/12/2007
Localidade: Penafiel
Mensagens: 1936
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Caro Arlindo,

os últimos três versos colocam-nos diante do abismo do que não fizemos e, inevitavelmente, do que não somos, um abismo aos nossos próprios olhos, à luz de referências idealizadas.
Assim moldaste, a golpes incisivos, um poema robusto.
Abraço.


Enviado por Tópico
Conceição Bernardino
Publicado: 13/01/2010 01:45  Atualizado: 13/01/2010 01:45
Colaborador
Usuário desde: 22/08/2009
Localidade: Porto
Mensagens: 3332
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
olá arfemo,

sinto vergonha por não saber dizer o que senti ao ler este poema mas sei que aprendi que a beleza nasce do aprendizado.

beijo


Enviado por Tópico
Julio Saraiva
Publicado: 13/01/2010 10:44  Atualizado: 13/01/2010 10:44
Colaborador
Usuário desde: 13/10/2007
Localidade: São Paulo- Brasil
Mensagens: 4206
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA p/arfemo
amigo arlindo,

este seu poema roubou-me algumas lágrimas.

abraço,

j.


Enviado por Tópico
ÔNIX
Publicado: 13/01/2010 11:10  Atualizado: 13/01/2010 11:10
Colaborador
Usuário desde: 08/09/2009
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2695
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Uma morte encenada será sempre sofredora, por isso morramos a valer e levemos a vida com ela - a morte

Apesar de triste achei-o de uma beleza indescritível

Beijos


Matilde D'nix


Enviado por Tópico
Egéria
Publicado: 13/01/2010 12:01  Atualizado: 13/01/2010 12:01
Da casa!
Usuário desde: 28/09/2009
Localidade:
Mensagens: 293
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Favorito, mas fiquei sem palavras prefiro o silêncio do meu sentimento.
Beijo, adorei.


Enviado por Tópico
fogomaduro
Publicado: 13/01/2010 13:17  Atualizado: 13/01/2010 13:17
Colaborador
Usuário desde: 06/08/2008
Localidade:
Mensagens: 1478
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Todos os dias se parte, todos os dias se fica, mas há-de chegar a hora da última das partidas: mas um poeta assim cuidará do "amor-perfeito" até ao último sopro.

DM


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 13/01/2010 14:41  Atualizado: 13/01/2010 14:41
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Ola poeta.

Fico sempre sem jeito para o comentar. Gostei deste poema onde o poeta sente os traços e os sentimentos herdados e alguma magoa por não cumprir alguns propositos limitados pelo tempo dum tempo implacável.

Beijo azul

Este fica para mim poeta.


Enviado por Tópico
celiacc
Publicado: 13/01/2010 16:36  Atualizado: 13/01/2010 16:36
Colaborador
Usuário desde: 27/12/2008
Localidade: Setúbal - Portugal
Mensagens: 2392
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Só agora aqui cheguei, mas não podia deixar de lhe deixar uma mensagem de apreço pela extraordinaria maneira de chegar ao íntimo dos corações de quem tem o prazer de ler o que escreve.

Obrigada

abraço
célia


Enviado por Tópico
AntóniodosSantos
Publicado: 13/01/2010 20:53  Atualizado: 13/01/2010 20:53
Colaborador
Usuário desde: 10/12/2008
Localidade: Lisboa
Mensagens: 1005
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Amigo Arlindo

Ao ler este e outros dos seus poemas, apetece-me dedicar-lhe o meu singelo poema «A obra do poeta...», de que transcrevo:

"E se uma vez ao lê-lo em nós desperta

O sentir de um momento, plasmado
Em algo especial e..., tão diferente
Daquilo que é vulgar e consumado...

Algo especial porque é arte.
Se tal for alcançado simplesmente...
Não lamente o poeta, quando parte..."

É um privilégio poder ler a sua poesia... Obrigado...

Um abraço amigo


Enviado por Tópico
De Moura
Publicado: 13/01/2010 21:45  Atualizado: 13/01/2010 21:45
Colaborador
Usuário desde: 10/12/2007
Localidade: USA / NJ
Mensagens: 752
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Olá,

Esta manhã depois de ter publicado o meu poema "Não chores a minha morte" vi o titulo do teu e vim ler teu poema. O qual é muito bonito e se encaixa no meu. Penso eu, o vi assim.

Beijos,

Cina


Enviado por Tópico
RoqueSilveira
Publicado: 13/01/2010 23:26  Atualizado: 13/01/2010 23:26
Colaborador
Usuário desde: 31/03/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 8215
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Tenho certeza que quando um dia se for embora o poeta e o homem continuará ficando.
Um poema muito, muito belo
Abraço




Enviado por Tópico
adalberto
Publicado: 14/01/2010 19:06  Atualizado: 14/01/2010 19:06
Novo Membro
Usuário desde: 12/12/2009
Localidade:
Mensagens: 4
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
que trova bonita, para contar o que se leva da vida,e a quem devemos o que somos...favorito!

abraço


Enviado por Tópico
Joabreu
Publicado: 14/01/2010 22:30  Atualizado: 14/01/2010 22:31
Muito Participativo
Usuário desde: 10/05/2009
Localidade:
Mensagens: 78
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Olá,

Venho sempre aqui, apesar do vento "continuar a me levar" :)

E este poema -deus meu - foi da melhor inspiração que já tiveste. Gostei muito da ternura, disfarçada, que tua mãe mandava: muitas tinham dificuldade em manifestar as emoções. E tudo o resto: vais ter dificuldsde em igualar!

beijo


Enviado por Tópico
Ibernise
Publicado: 15/01/2010 17:53  Atualizado: 15/01/2010 17:53
Colaborador
Usuário desde: 04/10/2007
Localidade: Indiara(GO)
Mensagens: 1460
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Olá arfemo,

Dei meu favorito, está belíssimo.
Destaque:

'Quando eu me for embora, também não esquecerei, os luares

que percorri, envolto em ti, sem precisar de

leito. Assim cresci.'

Arfemo,
A dimensão que a palavra 'leito' adquire neste poema é grandiosa.
Uma metáfora de uma riqueza expressiva soberba, dando o lance que a evocação primeira da figura de pai,precisa p estruturar todas as emoções,(leitos que nos conduzem e aos quais conduzimos, leitos de amor que se propagam em nossas vidas e nos conduzem vida afora e até fora dela, qdo parecem ter mais vida, leitos firmes, leitos frágeis, retos ou pluriformes...) e sedimentar as lembranças, que nos lançam à posteridade. Neste caso n meramente coincidência, mas exaltados pelo seu talento singular.Parabéns.

Beijo p um feliz final de semana.

Ibernise, ainda na praia, litoral Sul da Paraíba, Brasil.


Enviado por Tópico
Edilson José
Publicado: 15/01/2010 22:33  Atualizado: 15/01/2010 22:33
Colaborador
Usuário desde: 12/04/2008
Localidade: SP
Mensagens: 5591
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Meu amigo, fico - a sério- pensando em dizer algo à altura da beleza da sua poesia. Me vejo em partes nesta, no mais bebo aos golinhos a lembrança, a memória de reconstrução rara, é...
Parabéns sinceros!
Um grande abraço
Edilson


Enviado por Tópico
morethanwords
Publicado: 16/01/2010 23:53  Atualizado: 16/01/2010 23:53
Colaborador
Usuário desde: 21/11/2008
Localidade:
Mensagens: 1507
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Sublime
jinhos,
T!na


Enviado por Tópico
AnaMartins
Publicado: 18/01/2010 00:40  Atualizado: 18/01/2010 00:40
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2009
Localidade: Porto
Mensagens: 2221
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Belíssimo e de uma nostalgia ímpar!

Por momentos recordei Mário de Andrade!

Um beijo pela partilha. Sim, porque este vai comigo!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 22/05/2013 12:43  Atualizado: 22/05/2013 12:43
 Re: QUANDO EU ME FOR EMBORA
Esta ai os valores da vida bom saber antes de ir,