https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

PARKINSON II

 
Tags:  poeta  
 
Ainda espero,ver um novo dia, diferente dos de agora.
Nesse dia, não haverá tempo, nem hora...
Meu ser, apanhará tulipas, sem rigidez,
Com agilidade e muita rapidez.


Não mais haverá, esta doença,
Que m´impede, de rosas colher...
E também de vo-las, oferecer...
Pois, no meu pó, agora há esta sentença.



Mas oh Parkinson, minha dor!
E também, minha amiga!
E ainda meu amor...


Nesse dia, cantaremos, os dois,
Uma nova cantiga...
Enquanto, ovelhas, pastoreemos, pois!!

HELDER DUARTE



Estou na unidade de longa duração de Albufeira. Tenho a doença de Parkinson. Mas tenho já muitas dificuldades. Principalmente a escrever. Peço que me perdoem algum erro. Agradeço ao Luso Poemas por me darem esta oportunidade de escrever os meus poemas...

 
Autor
HELDER-DUARTE
 
Texto
Data
Leituras
702
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
11 pontos
3
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
jessé barbosa de oli
Publicado: 08/02/2008 13:30  Atualizado: 08/02/2008 13:30
Da casa!
Usuário desde: 03/12/2007
Localidade: SALVADOR, Bahia
Mensagens: 334
 Re: PARKINSON II
ESTE TEU POEMA DE AUTO-ESTIMA ENTERNECEU-ME PROFUNDAMENTE, SOBRETUDO PORQUE, EMBORA NÃO SOFRA DE PARKINSON, SOU PORTADOR DE PARALISIA CEREBRAL, E ESTA ME IMPEDE DE ANDAR, POR ISSO POSSO ENTENDER-TE(AINDA QUE TEU SOFRIMENTO SEJA INFINITAMENTE MAIOR QUE O MEU, OBVIAMENTE).
BEM, TODOS DIAS ME OBRIGO A IR AO ENCONTRO DA MOTIVAÇÃO PARA VIVER, ENCONTRANDO-A NO SOL QUE RAIA, NA CHUVA QUE CAI, NA AMIZADE QUE TENHO COM MINHA MÃE, NAS CAMARADAGENS QUE CULTIVO E NA LUZ QUE EMANA DA POESIA.
PARABÉNS PELO POEMA E CONTINUES A CRER NA VIDA.