https://www.poetris.com/
 
Crónicas : 

UMA QUESTÃO DE... RACISMO

 
Tags:  uma questão de...  
 
Não sou racista. Eu vou para a cama com pretos!

Lembro-me de ter ficado bastante magoado quando uma amiga que prezo muito me disse que não se via a ter relações com pretos que não fosse mais que amizade. É claro que pensei que ela era racista, porque para mim, na altura, a maior mostra de não ser racista era talvez ter relações sexuais com alguém de outra raça (e digo já àqueles que vão retorquir que somos todos da mesma raça: pliz, não chateiem e deixem-me acabar o meu raciocínio). Eu sei que foi um pensamento estúpido tanto quanto foi estúpida a frase dela, pois quando desenvolvemos sentimentos de amizade, se forem genuínos, é claro, por alguém, isso significa que podemos desenvolver sentimentos de amor, pois se não nos restringimos a amar fraternalmente alguém de uma raça diferente, provavelmente é porque não somos racistas.

Eu vou para a cama com pretos!, não quer dizer que a pessoa não seja racista (embora não signifique que o seja), aliás, não atesta de forma nenhuma o racismo ou a sua ausência em ninguém, embora possa ser um indicador. Pode-se ir para a cama com pretos por fetiche, ou para se sentir cool e progressista, ou porque essas pessoas não passam de objectos sexuais. E pode-se não querer ir para a cama com pretos da mesma maneira que não se quer ir para a cama com gordos, musculados, magros, loiros, morenos, anorécticos, entre outros tipos físicos. Porém, quando alguém diz: loiras não fazem o meu tipo, ninguém o acusa de “tipismo”, mas quando alguém fala: pretos não fazem o meu tipo, é logo racista. Eu sei que estou a ver a coisa de uma maneira um tanto superficial, mas acho que suficientemente para mostrar o meu ponto.

Imaginemos um branco a dizer (como já ouvi algumas vezes): gosto de carne escura, brancas não me atraem!, o que concluímos: Ele é racista e não gosta da sua própria raça? Ele é racista e trata os pretos como objectos? Ele simplesmente definiu um tipo? E vamos pensar então que ele cresceu com os pretos e sempre viveu com eles.

A verdade é que nem tudo o que envolve a cor é complicado, no entanto, tudo o que envolve os pretos é. E parece que para a maioria, tal como era para mim, o não-racista é aquele que vai para a cama com a outra raça e não aquele que respeita, valoriza, amiga-se ou ama os outros, independentemente da sua raça.

E, voltando atrás, quando um preto diz: gosto mais de brancas!, ele é logo taxado de racista e de alguém com vergonha da própria raça, nem se pensa em aspectos culturais ou na simples questão de atracção pelo oposto. Não choca a ninguém ouvir as arianas, loiras platinadas e de olhos azuis nórdicas a dizerem: atraem-me mais os morenos e de olhos negros. Ninguém julga que pela abundância de “arianismo”, elas queiram algo diferente; aliás, de forma igual, ninguém se chocaria se uma delas manifestasse uma tendência exclusivamente “ariana”, certamente se diria: ah, é o tipo ao que ela está habituada!

Por essa razão não entendo por que tem de haver sempre complicação quando esta questão envolve os pretos. Quando um preto prefere brancos é racista; quando preto prefere pretos é fingido e orgulhoso; quando branco prefere pretos é fetichista.

Mas como eu disse antes ir para a cama com pretos não significa não ser racista (mas também não significa sê-lo, ou seja, como indicador para o racismo não serve de nada); há quem coma os animais, em todas as acepções da palavra, e isso não significa que não seja “especicista”, por exemplo, decerto que Monica Mattos nunca diria que respeita os cavalos como aos humanos.

Há muitos indicadores para o racismo e o factor “cama” é também um deles, mas só se, suponho eu, aliado a outros, porque só por si não é nada determinante. E olhem que para esta reflexão usei o preto como a constante e o branco como a variável, o que, não fosse o facto de eu me encontrar num país branco, poderia significar que pretendo que apenas os brancos podem ser racistas. E para esclarecer digo: o racismo não tem raça, só os homens têm. E olhem que nem comentei a frase: não sou racista, pois tenho amigos pretos!


publicado anteriormente em:
http://montedepalavras.blogspot.com/2 ... a-questao-de-racismo.html


Marinho de Pina



________________________________________________
[size=small]Se te comentei, subentenda-se que gostei do texto, logo não preciso dizer que gostei.

Se não te comentei, possívelmente não te li, ou então não sei dizer nada sobre...

 
Autor
Marinheski
 
Texto
Data
Leituras
2043
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
10
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 06/02/2012 19:38  Atualizado: 06/02/2012 19:39
 Re: UMA QUESTÃO DE... RACISMO
Pois sou um racista confesso: odeio a raça humana.

saudações.


Enviado por Tópico
PROTEUS
Publicado: 06/02/2012 19:56  Atualizado: 06/02/2012 19:56
Colaborador
Usuário desde: 27/03/2010
Localidade:
Mensagens: 3997
 Re: UMA QUESTÃO DE... RACISMO
RAÇAS DE HOMENS
Autor: Carlos Henrique Rangel

Pois eu não sei de raças...
Não raças de Homens...
O meu mundo é feito de Homens
Coloridos seres,
Iguais em suas diferenças...
Diferentes em suas igualdades...
Eu não sei de raças de Homens.
Sei de seres humanos
Perfeitos em suas imperfeições
Imperfeitos em suas perfeições.
Mas,
sobre tudo,
Homens...
Eu não sei de raças de Homens...


Enviado por Tópico
Caio
Publicado: 06/02/2012 20:10  Atualizado: 06/02/2012 20:10
Colaborador
Usuário desde: 28/09/2011
Localidade: Olinda, Pernambuco
Mensagens: 1149
 Re: UMA QUESTÃO DE... RACISMO
Penso que tachar de racista uma pessoa só porque ela não transa com pretos (ou brancos, amarelos, azuis...) seja uma atitude bitolada.

Seria o mesmo que tachar de sexista um homossexual.
Por só sentir atração por pessoas do mesmo sexo, está discriminando?

É uma questão de "gosto", na minha opinião.
Pura e simplesmente questão de atração física.

Se a pessoa se deixa levar pelos pensamentos alheios,
por exemplo, se a pessoa só sente atração por acadêmicos (leia-se: malhados)
aí pode ser questão de alienação grave... O que tem "cura".

Claro que há gostos que envolvem cultura, criação, meio...
São vários fatores que desenvolvem o gosto pessoal.

É raro um gosto ex nihilo.



Ao Umav:

"Só (só, só, só) o amor faz o mundo andar..."


Enviado por Tópico
varenka
Publicado: 06/02/2012 21:07  Atualizado: 06/02/2012 21:47
Colaborador
Usuário desde: 10/12/2009
Localidade:
Mensagens: 4211
 Re: UMA QUESTÃO DE... RACISMO
Vivo numa terra que a maioria é negra.Tenho raiz negra com muito orgulho,minha bisavó e meu bisavô paterno,tive a felicidade de conhece los.Tenho a mistura das duas cores.Respeito todas às raças.Belos texto!Obrigada.Beijo de Varenka

Estamos passando por maus dias com a greve dos policiais.A bahia esta sangrando.Bjs Varenka


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 06/02/2012 21:59  Atualizado: 06/02/2012 21:59
 Re: UMA QUESTÃO DE... RACISMO
Bom,eu penso da seguinte forma:

Quando Deus criou o homem,ele não o definiu por "raça", usar a palavra "raça",soa como algo pejorativo.Deus nos fez imagem e semelhança dele,não importa cor,ou país de origem.
Existe sim,diferença de gostos,ninguém é obrigado a gostar das mesmas coisas só para não ser classificado como racista ou preconceituoso.

Racismo não envolve apenas cor, um homem magro pode gostar de gordinhas,ou uma mulher branca pode perfeitamente gostar de homens negros,é tudo questão de atração.Porque diante de Deus somos todos iguais.
O racismo e o preconceito começa quando nós mesmos geramos essa diferença,essa coisa de achar que negro só fica com negro,ou branco só com branco.É tudo uma questão de ponto de vista.


*O amor é a força que move o mundo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 07/02/2012 09:53  Atualizado: 07/02/2012 09:53
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 30003
 Re: UMA QUESTÃO DE... RACISMO
UM POEMA EXPLICATIVO, MUITO INTELIGENTE, EM TODOS OS SENTIDOS O IGUAL SEMPRE EXISTUI, O DESIGUAL É O PRÓPRIO SER HUMANO QUE O COSNTRUI, DEIXO MEU ABRAÇO

MARTISNS