https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Ao longe, ainda

 
E quando as palavras adormecem
na habituação dos dedos
há vozes antigas a alimentarem
a árvore que o coração celebra.
São frágeis as horas.
Mas quantas vezes um olhar
a crepitar de luz não faz estremecer
o silêncio da casa?
Talvez na linha d’água dos pássaros
a metamorfose do verso aconteça.


maria

 
Autor
outonal_idade(s)
 
Texto
Data
Leituras
1004
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
19 pontos
7
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
JPAnunciação
Publicado: 23/02/2013 17:23  Atualizado: 23/02/2013 17:23
Luso de Ouro
Usuário desde: 18/06/2008
Localidade: Évora / Lisboa
Mensagens: 250
 Re: Ao longe, ainda
Cara Maria,

Temos aqui uma forma diferente de escrever: há rigor e grande sentido poético.

"Talvez na linha d’água dos pássaros
a metamorfose do verso aconteça."
Destaco este final porque é simplemente sublime. Isto sim, é poesia!!
Muito bom!

Bjs.
JP


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/02/2013 23:30  Atualizado: 23/02/2013 23:30
 Re: Ao longe, ainda
Páro, leio, releio e saio mais rico, com feixe de inspiração ao ombro. Parabéns muitos.


Enviado por Tópico
GELComposicoes
Publicado: 07/05/2014 01:53  Atualizado: 07/05/2014 01:53
Luso de Ouro
Usuário desde: 04/02/2013
Localidade: Uberlândia - MG - Brasil
Mensagens: 2374
 Re: Ao longe, ainda
Quase sempre chega, assim, quando a gente menos espera.
Parece mesmo soprado aos ouvidos...
Gostei!
Abração.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 07/05/2014 02:53  Atualizado: 07/05/2014 02:53
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 15982
 Re: Ao longe, ainda
Poetisa
Amiga, a inspiração tem passado longe de mim esses dias!
Adorei a leitura! Beijos!
Janna