https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Lá fora, é maio

 

Refém de um lado lunar,
que me prende os olhos na cal branca
da fachada centenária que desce a rua deserta,


cada passo que me leva
repisa os limites de uma folha morta,
enquanto as veias, desatinadas, explodem em gritos
de saudade e muros de melancolia
tanta.


E o céu, tão baixo, tão baixo,
a enregelar-me a pele, a circunscrever- me a visão
ao peso de tão infinitos nadas.


É domingo à tarde, num calendário afónico
e transido de medo, porque, lá fora,
é maio e a primavera canta.


maria

 
Autor
outonal_idade(s)
 
Texto
Data
Leituras
701
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
6
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
arfemo
Publicado: 19/05/2013 22:57  Atualizado: 19/05/2013 22:57
Colaborador
Usuário desde: 19/04/2009
Localidade:
Mensagens: 4812
 Re: Lá fora, é maio
...e quem pode impedir a primavera, como escrevia o Cinnatti?

belo poema

ab.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 20/05/2013 12:48  Atualizado: 20/05/2013 12:48
 Re: Lá fora, é maio
Muito lindo e tocante...

Escreves tão bem que ao ler se vai sentindo as imagens descritas... as estações da vida se sucedem e os sentires acompanham esse devir... na direção de algo desconhecido, o estranho causa temor e melancolia...

Gostei e viajei... obrigada.

Um abraço,

ALICE


Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 27/05/2013 03:54  Atualizado: 27/05/2013 03:54
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: Lá fora, é maio
como fugir de estações que de doces
desorientam o calendário? Gostei faz tempo,
mas só hoje vim falar. bjs