https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

... ou tão-só um poema

 


E no vento
o que ficou da terra ardida
um coração de neblina
um corpo carregado
de regressos

ou tão-só
o frágil instante das ausências
o indefinível de nós.

Semeio a cor
sob as ardências
vertiginosas do verão

sob os fragmentos de horas circulares

inexoravelmente lentos
inevitavelmente sós.

Recolho na palma da mão
o silêncio gritante das esperas

talvez apenas o voo hesitante
de náufragas sílabas

ou tão-só
a memória de um tempo invisível que parou

inatingível

dentro de nós.


maria

 
Autor
outonal_idade(s)
 
Texto
Data
Leituras
829
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
8 pontos
8
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 07/07/2013 18:36  Atualizado: 07/07/2013 18:36
 Re: ... ou tão-só um poema
A poesia vive em cada palavra dedilhada no papel solitário à partida. Corre cada verso como criança correndo nas veredas floridas.

Grande beleza e suavidade na escrita.

Beijo azul


Enviado por Tópico
Lápis
Publicado: 07/07/2013 19:47  Atualizado: 07/07/2013 19:47
Da casa!
Usuário desde: 27/04/2012
Localidade:
Mensagens: 289
 Re: ... ou tão-só um poema
Tocante, sentido, bonito!
(Abraços)
Lápis


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 07/07/2013 20:47  Atualizado: 07/07/2013 20:47
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29152
 Re: ... ou tão-só um poema
Um silêncio que grita. Palavras que se silênciam, um belo poema


Enviado por Tópico
pedrobito
Publicado: 08/07/2013 00:38  Atualizado: 08/07/2013 00:38
Luso de Ouro
Usuário desde: 13/01/2009
Localidade: Leiria
Mensagens: 198
 Re: ... ou tão-só um poema
... E eu fiquei mudo!

Parabéns!
Cumps,
Pedro Domingues