https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

Rascunhando fragrâncias VI

 
Tags:  190913  
 
Estou aqui, neste casulo amargo, que me amarra o peito, tenho saudades de ti, da tua voz que expirava carinho e me fazia sentir tão especial...por onde anda esse teu desejo de me ouvires, essa inquietude diária de me sentires? Penso em tudo o que sentimos, nos nossos risos cúmplices, nas nossas expressões libertinas, nos nossos carinhos...e choro mesmo que as lágrimas não brotem da retina entristecida, porra choro, é tão difícil esquecer...pensar em deixar de te sentir...calar a vontade de falar loucuras, de gritar bem alto, "não esqueças o que já sofremos e o que já gozamos juntos". Talvez seja isso que acontecerá, mas porra és tão injusta vida. Estou cansado, já não sei como lutar...oro uma prece "ajuda-me destino, ajuda-me a não a perder".

(...)



Espero que gostem do que escrevo e que dêem a vossa opinião. Obrigado

 
Autor
PedroGabi
Autor
 
Texto
Data
Leituras
641
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 04/10/2013 03:12  Atualizado: 04/10/2013 03:12
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16342
 Re: Rascunhando fragrâncias VI
Belo e sentido! Adoro cartas!
Janna