https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

CORRE O RIO

 
CORRE O RIO
 


Corre o rio de tristezas
Devagar cor de sangue
Sangue, sangue de dor
Arma enferrujada
Veias de veneno lapidado
Sugado no escuro
Corpo estendido
Esquecido e sentido
Sangue derramado de um soldado
Com o coração partido
Perdido, magoado
Guerra estúpida, sem tempo, sem hora
Humanidade despida
Sem destino nas areias
Escaldantes do deserto
Desentendidos, ignorantes
Corre o rio de dor, de sangue
De odor, podre, fede
Carne apodrecida deixada à sua sorte
Veias lapidadas de cores de uma guerra estúpida
Sem honra, sem respeito, sem compaixão
Feridas feitas no peito de sangue que deixam cicatrizes.


Open in new window


╭✿ ♥
Não me considero poeta
Descobri escrevendo por acaso

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
Autor
IsabelRFonseca
 
Texto
Data
Leituras
730
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
42 pontos
2
4
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
AntónioFonseca
Publicado: 28/09/2018 23:36  Atualizado: 28/09/2018 23:36
Colaborador
Usuário desde: 31/05/2013
Localidade: Portugal
Mensagens: 576
 Re: CORRE O RIO
Poema que demonstra o descontentamento nas variadas
vertentes das sociedades e no percurso ao longo dos anos
Onde derramou-se sangue nos corações partidos e aniquilados de diversos soldados nas guerras de sangue
Onde as águas do rio correm com o odor e a cor do sangue.