https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

A silente concretude da pedra

 





Um fio suspenso
a incerteza de um traço
a invisibilidade da voz.

Como um percurso que se substitui
num intervalo mais denso
da mudança. O aparente
movimento de existir.

Gostava de entender
a silente concretude da pedra
nas raízes da noite.
Nem que fosse apenas através
de um filamento de pássaros
gelo a diluir-se no tempo
ou uma chama débil
a iluminar-me os olhos vastos de sede
da primeira água da manhã.



maria

 
Autor
outonal_idade(s)
 
Texto
Data
Leituras
583
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
5
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/03/2014 12:02  Atualizado: 11/03/2014 12:02
 Re: A silente concretude da pedra
Lindo e instigante!



M...


Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 12/03/2014 04:07  Atualizado: 12/03/2014 04:07
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: A silente concretude da pedra
minha admiração ficou esperando
até agora! andavas sumida... (obrigada)


Enviado por Tópico
martims
Publicado: 31/03/2014 14:47  Atualizado: 31/03/2014 14:47
Colaborador
Usuário desde: 12/08/2013
Localidade:
Mensagens: 6794
 Re: A silente concretude da pedra
Uma chama que ilumina nosso olhos, eese belo poema