https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

"DELÍRIOS"

 
Tags:  solidão  
 
"DELÍRIOS"
 
Estou cansada, triste
De sorrisos forçados
Conversas onde ninguém ouve
Ou quer ouvir
Onde todos queixam-se
E ninguém tem razão
De máscaras, de fingimentos
Mentiras, choros, paranóicos
De aparências ilusórias
Realidade construída
De sonhos, desilusões
Da crueldade
E da curiosidade mórbida alheia
Orgulhoso desmedido
Sem vergonha
Estou cansada de gente falsa
Sem sentimentos.

Open in new window


╭✿ ♥
Não me considero poeta
Descobri escrevendo por acaso

Isabel Morais Ribeiro Fonseca.
 
Autor
IsabelRFonseca
 
Texto
Data
Leituras
2948
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
40 pontos
8
4
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 18/04/2014 15:02  Atualizado: 18/04/2014 15:02
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16187
 Re: Estou cansada..... Triste....
Poetisa
Adorei a leitura! Antes só que mal acompanhada, nem sempre optar pela solidão é sinônimo de tristeza, às vezes é autopreservação, opção mais confortável! Boa Páscoa!
Janna


Enviado por Tópico
Manufernandes
Publicado: 18/04/2014 19:58  Atualizado: 18/04/2014 19:58
Subscritor
Usuário desde: 09/12/2013
Localidade: Lisboa
Mensagens: 3860
 Re: Estou cansada..... Triste....
faço minhas as certicimas palavras da poetisa Janna
Gostei da verdade, sua, ante tanta mentira e falsidade, do mundo.
Abraço
manu


Enviado por Tópico
ângelaLugo
Publicado: 18/04/2014 20:15  Atualizado: 18/04/2014 20:15
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2006
Localidade: São Paulo - Brasil
Mensagens: 14964
 Re: Estou cansada..... Triste....IsabelRFonseca
Olá Isabel

Grande verdade em seu lamurio de palavras
neste poema muitos se identificarão...

Beijinho no coração


Enviado por Tópico
AntónioFonseca
Publicado: 18/05/2016 22:36  Atualizado: 18/05/2016 22:36
Colaborador
Usuário desde: 31/05/2013
Localidade: Portugal
Mensagens: 624
 Re: "DELÍRIOS"
Concordo plenamente.
O poema traduz e sintetiza o mundo cão em que vivemos.
Estou contigo baby.