https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Ilusão : 

Adágio do Silêncio

 
Tags:  ilusão  
 
Adágio do Silêncio

Se, um dia, alguém te disser
Que este amor é eterno
Deves logo desdizer
Que não foi mais que inferno.

Diz que nunca houve amor,
Não dormimos em alcova,
Jamais trocámos suor
ou vimos luas, cheia e nova.

Foste, nos meus olhos e alma,
Um adágio silencioso,
Um abjecto belicoso,
sem ternura, paz ou calma.

Foste o leito podre de água,
De coração estagnado,
O vazio, o erro, a mágoa,
O nada deste pecado.

Não serás jamais viola
Que tange nas cordas, vibrante,
Sussurros e gritos de amante -
Apenas ais por esmola.

Este adágio não existe,
Nem sequer é nasciturno,
Pobre acto taciturno,
Sangue sujo que esvaíste.

No silêncio do adágio,
Tentei amar-te, por plágio,
Mas em pranto irrompi,
Perante tal monstro, fugi…


Poet@ sem Alm@
João Loureiro


Open in new window

Lisboa, 31/05/2015
 
Autor
Poeta.sem.Alma
 
Texto
Data
Leituras
560
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
2
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 01/06/2015 11:23  Atualizado: 01/06/2015 11:25
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29256
 Re: Adágio do Silêncio
Um excelente poema, adorável leitura

Palavras que se faz nativas mostrando os verdadeiros sentidos dos momentos.