https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Introspecção : 

Evasão do Poeta

 
Tags:  divagação    evasão  
 
Evasão do Poeta

As montanhas, nuas do fogo,
sitiam-me nestes vales de ecos,
onde vida regurgita, gritando,
a esperada renovação.
Da ressecada paisagem,
os viçosos exorbitantes
de verdes matizados, tenazes,
que se opõem à desolação.

Os meus sentidos são invadidos
de cores, de cheiros, de sons...
Meu olhar é tomado de assalto
por cenas em perene turbilhão.
As aves entoam e me seduzem,
no seu trinar, melodias celestes.
Os perfumes anestesiam meu corpo
derreado pela dor e pela perda.

Tudo se manifesta em frenesim,
numa orgia pós-guerra sexual,
onde qualquer afecto ou paixão
desdenha do ilusório amor fútil.
A necessidade de recriar vida
torna as emoções e sentimentos
em recordações saudosistas
de quem não é parte do acto.

Esta ambiguidade atinge-me feroz
porque, por amantes, abraço odaliscas
frias, servis, assexuadas, que almejam
tão só a liberdade e o esquecimento.
Se torneio o ventre sedutor da solidão
logo esta me repele para os beijos,
apaixonados e quentes, da loucura;
a tortura do gelo e fogo é-me inumano.

Ousarei eu, porém, perturbar o seio materno
que força e sacia a explosão vital em redor?
Serão os meus brados de dor e lamentos
fortificados pelo desespero, escutados?
Ou a orgia se porá em fuga desordenada
e logo, indiferente, retoma a sua função?
Quem se importará com o poeta sem musa,
inculto, rude, que não soube jamais amar?

Ninguém decerto! Nenhum ser saberá ler letras
desordenadas em folhas ressequidas pelo tempo
e semi-apagadas pelo espectro da luz
que ensaia, sem guião, este vigor.
Nem a noiva negra esperada, que tarda,
jamais lançará o seu olhar vazio ao inútil
livro abandonado na natureza como lixo...
Ela vem ceifar um corpo e alma desvalidos!



Poet@ sem Alm@
João Loureiro


Open in new window

Lisboa, 18/06/2015
 
Autor
Poeta.sem.Alma
 
Texto
Data
Leituras
406
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
2
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 19/06/2015 17:21  Atualizado: 19/06/2015 17:21
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8696
 Re: Evasão do Poeta
Tão bom, tão bom, que me sinto incapaz de comentar à altura sua magnífica obra poética, querido Poeta!
Mas, minha sensibilidade registra sem dificuldade a conjugação do ritmo harmonioso, a musicalidade das palavras que o poeta tão feliz soube escolher, denotando compromisso e amor à poesia.

Mil parabéns!

Beijos!