https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Adeus

 
Tags:  poeta  
 
Adeus mundo e tu tempo!
Adeus terras e longes terras!
Adeus Portugal, Algarve e guerras.
Bem-vindo sejas, tu «Todo o sempre».



Adeus pai, mãe e Monchique.
Também tu Alvor e vós Alcobaça.
E vós que me odiais, pois eis que aqui não fico.
Vou para uma terra, que nunca passa.



N'ela só há flores e pássaros.
Não há serpentes...
Há pombas, que formam arcos.



Há lá um cântico suave.
Para sempre, sempre, sempre...
Como o do rouxinol ave!


Estou na unidade de longa duração de Albufeira. Tenho a doença de Parkinson. Mas tenho já muitas dificuldades. Principalmente a escrever. Peço que me perdoem algum erro. Agradeço ao Luso Poemas por me darem esta oportunidade de escrever os meus poemas...

 
Autor
HELDER-DUARTE
 
Texto
Data
Leituras
786
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
5
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
João Marino Delize
Publicado: 14/02/2008 13:22  Atualizado: 14/02/2008 13:22
Colaborador
Usuário desde: 29/01/2008
Localidade: Maringá-
Mensagens: 2973
 Re: Adeus
Poema, no meu intender, acima da média de nós mortais que temos medo de ir para "uma melhor"
muito bem escrito. Não tenho condições de avaliar um poema dessa grandeza.



Enviado por Tópico
ângelaLugo
Publicado: 14/02/2008 14:45  Atualizado: 14/02/2008 14:45
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2006
Localidade: São Paulo - Brasil
Mensagens: 14976
 Re: Adeus p/ HELDER-DUARTE
Querido poeta

A inspiração do poeta faz caminhar
por caminhos onde...

"Há lá um cântico suave.
Para sempre, sempre, sempre...
Como o do rouxinol ave!"

Reflexivo poema

beijo no coração