https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

NEGRAS VESTES 🌻

 
NEGRAS VESTES 🌻
 
Oh voz poeta dos meus versos
Palavras mortas em letras já nossas
Na troca dum piscar dos teus olhos
Oh dor que rasgas as vestes negras

Oh dor cruel, da minha pobre alma
Beijas-me enquanto brotas sangue
Noites nas lágrimas, no meu lençol
Oh mágoa perdida nas negras vestes

Oh dor que teces um fio num rio
Caminhos sombrios, rumo ao mar
Que nasce do teu talvez desengano
Dores soltas no espaço sem tempo.

Oh noite, que vestes já de negro
Os meus versos de letras mortas
Poesia no dilema feita em prosas
Na troca do sim, pelo talvez não
Onde rasgas as já negras vestes.

🌻


╭✿ ♥
Não me considero poeta
Descobri escrevendo por acaso

Você pode copiar, distribuir, exibir, executar
desde que seja dado crédito ao autor original.


🦋🌻
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
Autor
IsabelRFonseca
 
Texto
Data
Leituras
921
Favoritos
7
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
78 pontos
6
8
7
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 15/07/2015 14:31  Atualizado: 15/07/2015 14:31
 Re: NEGRAS VESTES
Um estupendo poema, agora para ficar mais lindo eu sugiria que tocass oh por Ó, ficará mais completo, mas é apenas uma sugestão.


Ass: GCRS

http://poesiaesonetosdegcrs.blogspot.com.br


Enviado por Tópico
AntónioFonseca
Publicado: 16/07/2015 12:46  Atualizado: 16/07/2015 12:46
Colaborador
Usuário desde: 31/05/2013
Localidade:
Mensagens: 1121
 Re: NEGRAS VESTES
Gostei -Beijas-me enquanto brotas sangue-


Versos? Paguei-os. Alegria e raiva.

As palavras por vezes impotentes

outras vezes escorrendo sangue e seiva

ao morderem a vida com os dentes.

Poesia que és uns dias minha noiva

com seios de palavras complacentes.

Poesia que outras vezes grita e uiva

fêmea capaz de fecundar sementes.

Poesia minha amiga minha irmã

mulher da minha vida que inventei

para fazermos filhos amanhã.

Poesia minha força e meu castigo

meu incesto tão puro que nem sei

se é verdade que faço amor contigo.



in SANTOS, Ary dos. - O Sangue das Palavras. Lisboa, 1979.


Enviado por Tópico
AntonioCosta
Publicado: 24/09/2020 14:23  Atualizado: 24/09/2020 14:23
Super Participativo
Usuário desde: 02/05/2020
Localidade:
Mensagens: 103
 Re: NEGRAS VESTES 🌻
Soneto das Metamorfoses

A Edmundo Morais

Carolina, a cansada, fez-se espera
e nunca se entregou ao mar antigo.
Não por temor ao mar, mas ao perigo
de com ela incendiar-se a primavera.

Carolina, a cansada que então era,
despiu, humildemente, as vestes pretas
e incendiou navios e corvetas
já cansada, por fim, de tanta espera.

E cinza fez-se. E teve o corpo implume
escandalosamente penetrado
de imprevistos azuis e claro lume.

Foi quando se lembrou de ser esquife:
abandonou seu corpo incendiado
e adormeceu nas brumas do Recife.

Carlos Pena Filho, in 'Livro Geral'

Enviado por Tópico
AntónioFonseca
Publicado: 24/09/2020 14:32  Atualizado: 24/09/2020 14:32
Colaborador
Usuário desde: 31/05/2013
Localidade:
Mensagens: 1121
 Re: NEGRAS VESTES 🌻


Oh dor cruel, da minha pobre alma
Beijas-me enquanto brotas sangue