https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Introspecção : 

Sombra Errante

 
Tags:  vagabundo  
 
Sombra Errante

Minha alma se queda, inquieta,
nas brumas das noites sem luar,
vazia de emoções, de cor e de luz.
É como qualquer estátua erguida
em jardim esquecido, tomado pela floresta,
sombra errante no desfilar dos dias.

Na pedra cinzelada apenas escorre
o negrume das tormentas de ilusões
e, nos veios, gangrena a solidão.
Do olhar, as lágrimas petrificadas
são suspiros moribundos que fenecem
aos cantos e sussurros dos amantes.

Os lábios petrificados se emudecem,
saboreando o sal corrosivo e sedento,
nos murmúrios antecedentes de agonia.
Como te chamar na multidão hostil
caminhando no horizonte longíquo,
se és somente um espírito anónimo?

Como apelar às musas seus encantos
e aos poetas seus cantos e paixões.
Se tudo meu se esvai errante na sombra?
Que carinhos poderão da alma emanar,
que cruzem minha sombra ao teu caminho,
e floresçam amores? Erro da sombra...

Sombra errante de corpo vagabundo!


Poet@ sem Alm@
João Loureiro


Open in new window

 
Autor
Poeta.sem.Alma
 
Texto
Data
Leituras
468
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
32 pontos
2
3
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Ro_
Publicado: 28/01/2016 19:19  Atualizado: 28/01/2016 19:19
Colaborador
Usuário desde: 25/09/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 3962
 Re: Sombra Errante

Maravilhoso, poeta!
Parabéns!
Um beijinho!


*-*