https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

LUTO NEGRO

 
Tags:  solidão  
 
LUTO NEGRO
 
Está consumada a morte esquecida, sentida
Sono entre as pedras frias da funda sepultura
Dorme no nosso silêncio, nossa triste solidão
Vigília do coração, calvário de fragas tão nosso

Sigo a brisa do vento procurando o sal do mar
Gaivota presa da linguagem na areia vulcânica
Que voa baixo para não perder as asas no oceano
Verbo da lua, das estrelas perdido no luto negro

Silêncio que sinto em cada folha que se move
Em cada sombra do caminho que ando piso
O alcatrão quente no toque das rosas feridas
Que sinto lá fora na fria sepultura esquecida

Espera acordar do sonho prometido imperfeito.
╭✿


Open in new window


╭✿ ♥
Não me considero poeta
Descobri escrevendo por acaso

╭✿
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
Autor
IsabelRFonseca
 
Texto
Data
Leituras
606
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
42 pontos
2
4
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
AntónioFonseca
Publicado: 05/07/2018 22:27  Atualizado: 05/07/2018 22:28
Colaborador
Usuário desde: 31/05/2013
Localidade: Portugal
Mensagens: 630
 Re: LUTO NEGRO
Porque a vida é uma jornada viva, a morte é um dado certo onde qualquer ser vivo não tem escapatória desse abismo.
Está consumada a morte esquecida, sentida
Sono entre as pedras frias da funda sepultura
Dorme no nosso silêncio seguindo a brisa do vento, procurando o sal do mar.