https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Desabafo de amor com uma caneta

 
Tags:  amor    desilusão    revolta    raiva    frustração  
 
Estou farto minha caneta,
Fala comigo dizia ela,
eu nao sei o que faça por ela,
tudo o que queria e ver me ao lado dela,
parece que tudo o que faço esta errado,
tudo o que temos passado,
não fui o suficiente,
não fui permanente,
e todos os momentos presos na minha mente...
Calma dizia a minha caneta,
CALMA ? COMO CALMA
perdi-a, menti e perdi metade de mim,
oh meu Deus como ter calma,
como sequer respirar,
Não me digas para acalmar,
não me digas para lutar,
não me digas para me afastar,
a minha cabeça tem tantas soluções,
e nenhuma delas são decisões,
num turbilhão de emoções e zero de noções.
Fodasss eu quero e não sei se aguento,
eu quero mas se foi com o vento,
eu não quero mas não sei se aguento,
como me lembrar de esquecer se lembrar já é relembrar o sentimento ?
como falar sei dizer o que sinto,
como manter uma amizade,
se sinto e se não digo fica uma conversa inacabada,
diz me como manter esta "APENAS" AMIZADE DE FECHADA
diz me o que faça porque já não sei de nada,
RESPIRA
Como respirar caneta, eu estou a delirar,
eu só queria estar longe daqui,
em qualquer outro lugar,
bem longe num sitio onde o sentimento não poderia afectar
mas não existe nem aqui nem noutro universo,
e cada vez que não lhe digo que a amo é um inferno,
Fodasss para ti caneta, fodass para este caderno,
Fodass a escrita,
não sou poeta nem tu és minha amiga,
tudo o que fazes é passar memorias más para entre linhas,
lembrares me de antigas relembranças minhas.

 
Autor
Acef
Autor
 
Texto
Data
Leituras
303
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
1
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 28/06/2016 11:23  Atualizado: 28/06/2016 11:23
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29310
Online!
 Re: Desabafo de amor com uma caneta
Um llindo poema sxentimental.

Alma qie grita os sentidos de uma dor insana, a solidão se acoplou dentro de um paiaxonado coração.

maravilha de poema