https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Tardia

 

Chego tardia àquilo
que sempre fui.
Curso de rio traçado
na fluidez de águas inquietantes.

Ergo o poema em palavras inibidas
a descerem de tempos inocentes
ou desenho pássaros no olhar resignado
de uma voz distante. A falar
de portas abertas à lucidez de um nome
que partia devagar.

O silêncio a percorrer mapas de escuridão. Sombras indecifráveis.
A solidão dos rostos que não atravessaram
a linguagem dos muros.

A luz refratada
refletida.
A luz a acontecer
num tempo muito longe daqui.

E eu a chegar
tardia.



maria

 
Autor
outonal_idade(s)
 
Texto
Data
Leituras
292
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
22 pontos
2
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
erro
Publicado: 01/07/2016 00:09  Atualizado: 01/07/2016 00:09
Colaborador
Usuário desde: 04/03/2016
Localidade:
Mensagens: 845
 Re: Tardia
Nem sempre somos precisos naquilo que achamos que é a máxima da exatidão.