https://www.poetris.com/
Poemas : 

A noite que choveu insónias

 
Desarrumar metáforas
subir à tónica da palavra
abrir janelas a jardins de luz
e de vento

banir do poema as brumas intocáveis
da noite que choveu angústias
e insónias

[ movimentos circulares em areais vulneráveis
ausência amarga
a acender urgências ]

Sonhar brilhos de espumas
na rebentação das ondas

quebrar solidões
com relógios de sol
e panos verdes.


maria

 
Autor
outonal_idade(s)
 
Texto
Data
Leituras
187
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
4
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 09/07/2016 18:55  Atualizado: 09/07/2016 18:55
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29152
 Re: A noite que choveu insónias
Movimenta-se dos trilhos dos andais uma plena ternura, que se pinta com sonhos, onde algo se tocam no silêncio gritando a imensidão


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/07/2016 15:47  Atualizado: 10/07/2016 15:47
 Re: A noite que choveu insónias
Maria, há poesias em que o leitor apenas lê, a interpretação fica para o autor.

Que lindo!