https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Era uma vez o tempo...

 
Rodavas sobre o teu eixo
num esforço circular para não
atravessares a verdade.
Tinhas o tempo parado na distância
e o sorriso
entre sílabas náufragas e rituais de ausência.

_ Era uma vez o tempo...

… e ainda assim
segui o corpo do vento
a guardar sombras no coração das aves
e a entranhar a luz no exílio do teu olhar.

_ Era uma vez o tempo...

… e a minha voz a
tropeçar na face magoada do verso
quando a tarde era somente
uma página
nas minhas mãos.


maria

 
Autor
outonal_idade(s)
 
Texto
Data
Leituras
417
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
10
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 11/09/2016 11:26  Atualizado: 11/09/2016 11:26
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29136
 Re: Era uma vez o tempo...
Olhos que traduzem os momentos onde o acontecer vem do destino de nosso ser.

belo poema


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/09/2016 17:32  Atualizado: 11/09/2016 17:32
 Re: Era uma vez o tempo...
Bonito. Maria! Aprecie teu poema.
Abraço


Enviado por Tópico
Nininha
Publicado: 11/09/2016 22:06  Atualizado: 11/09/2016 22:06
Colaborador
Usuário desde: 14/04/2016
Localidade:
Mensagens: 1717
 Re: Era uma vez o tempo... P/ outonal_idade(s)
Olá Maria;
Há sempre "tropeços" e mágoas, mas também há páginas em branco onde podemos reescrever os dias. Embora o tempo não pare...
Adorei a leitura! Obrigada pela partilha


Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 13/09/2016 10:00  Atualizado: 13/09/2016 10:00
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12395
 Re: Era uma vez o tempo...P/outonal_idade(s)
É verdade quantas vezes trememos de susto mas há tanta coisa boa para escrever nas páginas em branco.
Achei muito belo o seu poema, beijinho Vólena


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 20/09/2016 23:53  Atualizado: 20/09/2016 23:53
 Re: Era uma vez o tempo...
Que beleza de poema!