https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

SONETO DAS ROSAS

 
Tags:  luciano    cerrado; poesia    Spagnol; poeta    Araguari    Goiás    Minas  
 
Rosa, toda esplendorosa és relicário
do amor, vaidosa, da pureza irradia
os mistérios da noite nua em magia
narrando cheiro do seu santo sacrário

Toda luzidia, ardente e ímpar, todavia
deveria manter-se intacta, anti horário
pois de fado romântica é tão temerário
sua fugacidade, que no tempo jazia

Derradeira amante, de plural cenário
atraente, tentadora como amada guia
sustenta a fascinação sob seu velário

Rosa desejada, das flores fidalguia
contém quimera dum poema literário
e a anarquia do luxo da ventriloquia

Luciano Spagnol
30/11/2016, 05'55"
Cerrado goiano
Poeta do cerrado


"Sou alma do cerrado, pé no chão, do Triângulo, do chapadão... Pão de queijo com café, fogão de lenha,das vilas ricas, arraiais, sou filho de Araguari, das Gerais".
Luciano Spagnol




 
Autor
LucianoSpagnol
 
Texto
Data
Leituras
237
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.