Poemas : 

Monção

 
Monção
 


Não digas coisa alguma,
Apenas que é tarde, o resto
Só metade é dizer, a outra
(Os meus sentidos poucos)
È falso e o falar está gasto
Ou é coisa nenhuma,

Não digas apenas alguma
Coisa, a vida é chuva e o vento
Corre corre sem alcançar coisa
Alguma, sem alguém que
O siga pra onde se diz q'vai
E não volta,

Apenas é tarde pra quem
Diz que saudade é ficar,
Supõe que o dia é sonho fixo
E a forma de acordar é sonhar
De novo como se não passasse
Dum pequeno sonho

O nosso dum outro em uso,
Não digas coisa alguma,
Apenas é tarde e dorme dentro
A parte de mim que é nada,
Nem a outra é toda desta Terra
Amarga,

Mas lá cima atada, toda chuva,
Alma é vento seco e monção
O oficio que tem esta é o inútil e o vazio,
A que outros têm é tudo
Quanto eu desejo ou quisera ser,
Sonhar é o engano, o logro e o nada ...




Jorge santos (01/2017)
http://namastibetpoems.blogspot.com




Jorge Santos

 
Autor
Jorge Santos
 
Texto
Data
Leituras
227
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
39 pontos
7
4
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Juanito
Publicado: 11/01/2017 12:52  Atualizado: 11/01/2017 12:54
Da casa!
Usuário desde: 26/12/2016
Localidade:
Mensagens: 367
 Re: Monção
Estimado Jorge, gostei muito do seu poema.

_______

Não digas onde acaba o dia.
Onde começa a noite.
Não fales palavras vãs.
As palavras do mundo.
Não digas onde começa a Terra,
Onde termina o céu
Não digas até onde és tu.
Não digas desde onde é Deus.
Não fales palavras vãs.
Desfaze-te da vaidade triste de falar.
Pensa, completamente silencioso.
Até a glória de ficar silencioso,
Sem pensar.

Cecília Meireles


Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 11/01/2017 18:38  Atualizado: 11/01/2017 18:38
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 5448
Online!
 Re: Monção
Retribuo a visita com muito prazer querido Jorge, e eis que me deparo com um poema, que me deu o que pensar. Além de muito bem escrito, característica do teu poetizar, ele aborda a questão das palavras, que se não acompanhadas da atitude, se tornam inúteis.
Melhor que ela nada dissesse, e ficasse. Ponto. rsrsrs

Gostei muito, poeta!

Mais uma vez, obrigada!

Beijo
.


Enviado por Tópico
Jorge Santos
Publicado: 11/01/2017 22:37  Atualizado: 11/01/2017 22:37
Colaborador
Usuário desde: 07/11/2014
Localidade: Azeitão - Setúbal - Portugal
Mensagens: 2112
 «Eis porque havemos de ser tolerantes.»
«Eis porque havemos de ser tolerantes.»

Enviado por Tópico
SALETI HARTMANN
Publicado: 11/01/2017 22:57  Atualizado: 11/01/2017 22:57
Super Participativo
Usuário desde: 31/10/2007
Localidade: Cândido Godói-RS
Mensagens: 168
 Re: Monção
Um poema infinitamente grande. Abraços!
"Eis porque havemos de ser tolerantes."
Saleti