Mensagens -> Desilusão : 

Pés descalços

 
Tags:  destino    senhor    desatino  
 
Open in new window
O vento seguirá seu rumo
O fruto reterá seu sumo
A voz se perderá evaporada
Em névoa fina e descorada
**
O meu chamado será surdo
Desacreditado,parece absurdo
Em desalinho meus passos
Caminho torto, pés descalços
**
Noite escura sem lua
Almas em desalento pelas ruas
Sem um querer, sem destino
Palavras que ferem em desatino
**
Meu corpo pede carinho
Segue frágil como um passarinho
Uma gota refrescante pede a flor
Ser um ser humilde que quer amor
**
A alma se perderá mergulhada
Pelas trevas obscuras, aniquilada
Procura luz e paz, sem maldade
No bom caminho: Senhor Piedade!

Nereida






 
Autor
nereida
Autor
 
Texto
Data
Leituras
61
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
28 pontos
6
3
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Juanito
Publicado: 20/03/2017 22:27  Atualizado: 20/03/2017 22:27
Colaborador
Usuário desde: 26/12/2016
Localidade: España
Mensagens: 936
 Re: Pés descalços
Muito lindo, estimada amiga!!

Gostei muito do poema, do começo até o fim, com esse apelo ao Senhor.

Meus parabéns e um abraço.


Enviado por Tópico
geraldocoelho
Publicado: 25/03/2017 06:28  Atualizado: 25/03/2017 06:28
Colaborador
Usuário desde: 14/11/2010
Localidade:
Mensagens: 535
 Re: Pés descalços
Pisando os mesmos caminhos que pisas em pés descalços; encontramos tua alma e sentimos os teus sentimentos nas tuas palavras, teus versos concebidos com muita maestria!...Aplausos e beijos fraternos.


Enviado por Tópico
Eureka
Publicado: 26/03/2017 13:09  Atualizado: 26/03/2017 13:09
Colaborador
Usuário desde: 02/10/2011
Localidade: Lisboa
Mensagens: 3848
 Re: Pés descalços P/Nereida
OLá Nereida,

Esses teus "pés descalços", trazem muita coisa aqui. Trazem verdades, sentimentos e pedidos, todos eles justos na divina providência.

Poema lindissímo, onde encontrei a referência aos menos afortunados, pelo meio de palavras impecáveis, em versos perfeitamente rimados.

Lindo, valoroso, um tanto triste ( e porque, por vezes, tem mesmo de o ser), mas um poema maravilhoso.
Parabéns, te favorito sem qualquer dúvida aqui.

Beijos

Eureka