https://www.poetris.com/
Sonetos : 

MEUS IMATUROS ANOS

 
Tags:  luciano    Spagnol    soneto    poeta cerrado velhice  
 
Os meus imaturos anos dia deste
Acarquilhou no tempo, foi embora
Deixando a saudade, vil senhora
Cá no peito, no horizonte celeste

Diversa, macróbia, que cá mora
Alquebrada, da vida quer teste
Se o já é valedouiro a toda hora
Da sabedoria se diz inconteste

E da idade, a acama, cafajeste
Todo que ora não fui sou agora
Troça e ri tal qual a uma peste

E nos desvarios me levo afora
Sem que o sonho me moleste
Pois, a alma é nova, sem outrora...

© Luciano Spagnol
poeta do cerrado
Março de 2017
Cerrado goiano


"Sou alma do cerrado, pé no chão, do Triângulo, do chapadão... Pão de queijo com café, fogão de lenha,das vilas ricas, arraiais, sou filho de Araguari, das Gerais".
Luciano Spagnol




 
Autor
LucianoSpagnol
 
Texto
Data
Leituras
112
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
2
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Juanito
Publicado: 13/04/2019 08:12  Atualizado: 13/04/2019 08:12
Colaborador
Usuário desde: 26/12/2016
Localidade: España
Mensagens: 2650
 Re: MEUS IMATUROS ANOS
Muito interessante e belo soneto!!

Certamente a saudade é uma tirana que só gosta de lembranças e despreza o presente que vivemos; mas, por vezes, sem saudade a gente não pode viver.

Meus parabéns e um abraço!

Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 13/04/2019 11:45  Atualizado: 13/04/2019 11:45
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12355
 Re: MEUS IMATUROS ANOS P/LucianoSpagnol
Saudade é a magia do fado português... e é tão bonito e espiritual ter saudades... Abraço vó