https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Sinto saudade do que não sou ...

 
Sinto saudade do que não sou  ...
 










Sinto saudade do que não sou,
O que vês é nada, esqueci
O pensar como fosse palha
Ao vento, como vês deixei

De ser outro pra tornar ao nada
Que sempre fui, esqueci por
Momentos que o nada basta
E sempre fui e serei o quanto

Sinto saudade de quem sou
Normalmente, um nada eu todo
Um todo-nada eu, nem mais
Nem menos que um morto-vivo

Sempre, o plural de nada ou
A definição nítida de um vazio qualquer,
Sem expressão, quanto à minha vista
Lei ou justiça, quem dera não ser

Nem formar sombra na rua
Em redor do rosto banal, estúpido
Embrulho de um insatisfeito,
Sinto saudade da realidade

Construída a brincar, do brilhar
Dos pastos lá fora quando há lua,
Para quê pensar se a forma é humana
Que o espelho tem, vulgar

Quanto a justiça e a lei, importância
Nenhuma pois ainda não sou
Ideia absoluta baseada no que creio
Ser, sou a noção que alguém teve d'mim

Outrora e antes e em mim mora rente,
E eu esse sou, sinto.



Jorge Santos (06/2017)
HTTP://namastibetpoems.blogspot.com









Jorge Santos, aliás Joel Matos,aliás namastibet

 
Autor
Jorge-Santos
 
Texto
Data
Leituras
1660
Favoritos
8
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
137 pontos
47
13
8
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 08/06/2017 23:19  Atualizado: 08/06/2017 23:19
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2015
 Re: Sinto saudade do que não sou
Open in new window





Enviado por Tópico
Absalao
Publicado: 09/06/2017 08:09  Atualizado: 09/06/2017 08:09
Da casa!
Usuário desde: 03/08/2013
Localidade: Moçambique, Maputo, Manhiça
Mensagens: 318
 Re: Sinto saudade do que não sou
Mestre, parabéns pelo texto...
Está delicioso.

Gostei.

Aplausos...



Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 09/06/2017 10:58  Atualizado: 22/11/2017 17:59
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2040
 Contudo vale-a-pena


Contudo vale a pena

Haver amanhã, haver outro dia
Contudo vale a pena, espécie de
Continuação de mim, perdão dos
Céus amnistia caminho de quem

Se perdeu dum outro dia, eu.
Haver amanhã, haver outro dia
Contudo vale a pena ser feliz
Enquanto ouço em mim dentro

O pensar suposto ou intuição
Instinto combinação de ambos,
Consciência e sonho, vazio
Que faz lembrar ruído e se sente,

Contudo vale a pena quando
Tudo parece estar aquém do que é
E existe, continuação de mim, incenso
Espécie de música que flutua,

Interlúdio às vezes, balada do terço,
Igreja vazia, contudo vale a pena
Ser hoje admirável tanto quanto
Um Audi ou um quadro apresentando

Nada em continuação de mim ...



Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 09/06/2017 12:53  Atualizado: 09/06/2017 12:53
 Re: Sinto saudade do que não sou
sou. sinto
muito, suscito
sucinto


Enviado por Tópico
silva.d.c
Publicado: 09/06/2017 23:49  Atualizado: 09/06/2017 23:49
Da casa!
Usuário desde: 26/10/2010
Localidade:
Mensagens: 408
 Re: Sinto saudade do que não sou
o que me faz não sentir saudade do que não sou, é saber que aquilo que sou é temporário...muito bom ler te e pensar...abraços



Enviado por Tópico
MarySSantos
Publicado: 10/06/2017 01:34  Atualizado: 10/06/2017 01:34
Luso de Ouro
Usuário desde: 06/06/2012
Localidade: Macapá/Amapá - Brasil
Mensagens: 5282
 Re: Sinto saudade do que não sou
do que não sou
a saudade
sente
e maltrata
o que sou.


Excelente poema,
como sempre.

Bjo



Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 11/06/2017 11:54  Atualizado: 11/06/2017 11:54
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29310
 Re: Sinto saudade do que não sou
Sentir saudade do que não sou, é ter nos olhos aquilo que verdadeiramente será


Enviado por Tópico
boxer
Publicado: 01/07/2017 17:38  Atualizado: 01/07/2017 17:38
Colaborador
Usuário desde: 21/01/2009
Localidade:
Mensagens: 748
 Re: Sinto saudade do que não sou
Perdi-me dentro de mim
Porque eu era labirinto,
E hoje, quando me sinto,
É com saudades de mim.

Mário de Sá-Carneiro (Dispersão)




Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 11/11/2017 20:17  Atualizado: 11/11/2017 20:17
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2040
 I love a little cottage
Open in new window

Enviado por Tópico
sisnando
Publicado: 25/11/2017 12:19  Atualizado: 25/11/2017 12:19
Colaborador
Usuário desde: 21/10/2008
Localidade: Fafe
Mensagens: 589
 Re: Sinto saudade do que não sou
Gostei de ler! Sentes saudades daquilo que não és? Não sentimos todos? Sobram-nos os sonhos, abraço amigo


Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 25/11/2017 22:19  Atualizado: 25/11/2017 22:19
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12514
 Re: Sinto saudade do que não sou P/Jorge-Santos
Matando saudades, de um de um poeta excelente Vó

Se sou um nada, nada sou
se nada sou, que sou então?
Se nada sou sendo, que é ser…
Ser ou não ser, eis a questão.

Se não sou, sinto saudades
um nada muito impreciso
se nada faz de um nada
que poema tão expressivo!

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 20/12/2017 20:40  Atualizado: 20/12/2017 20:43
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2015
 Re: Sinto saudade do que não sou ...
Open in new window



Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 10/01/2018 16:07  Atualizado: 10/01/2018 16:25
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2040
 .
.

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 10/01/2018 16:55  Atualizado: 10/01/2018 16:55
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2015
 Informo que vou embora daqui
Open in new window



Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 13/03/2018 21:47  Atualizado: 14/03/2018 09:39
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2040
 Re: Sinto saudade do que não sou ...
Open in new window

Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 22/05/2018 20:08  Atualizado: 22/05/2018 20:08
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2040
 Júlio Pomar
Open in new window

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 26/06/2018 10:41  Atualizado: 26/06/2018 10:41
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2015
 Re: Sinto saudade do que não sou ...

Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 11/10/2018 12:50  Atualizado: 11/10/2018 12:50
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 980
 Re: Sinto saudade do que não sou ...
Open in new window

Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 13/03/2019 17:37  Atualizado: 13/03/2019 17:37
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 980
 Re: Sinto saudade do que não sou ...
Open in new window



Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 28/03/2019 15:28  Atualizado: 28/03/2019 15:28
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2015
 Adeus
Open in new window

Enviado por Tópico
cavaleiro.sem.dama
Publicado: 29/03/2019 08:23  Atualizado: 29/03/2019 08:23
Da casa!
Usuário desde: 28/01/2017
Localidade:
Mensagens: 332
 Re: Sinto saudade do que não sou ...
A insatisfação e o desassossego fazem viver o homem, nem sempre da melhor forma. Dão-lhe vida a ele e uma pedrada no charco para os que o rodeiam. A estática e a inercia, para quem não morreu já está morto; que viva a loucura da sã inconformidade :)

Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 13/04/2019 17:00  Atualizado: 18/04/2019 11:06
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2040
 Morto vivo eu já sou ...













Se só e rigorosamente de mortos
Se compõem museus,
Morto vivo eu já sou, não estranho
Fui partido, deixados mil e cem bocados
No labirinto em que me fingi preso,

Duvido que o vento teso
Ou o sol do meio-dia, me encontrem vivo,
Pois sinceramente me sinto morto,
Pra vida que nunca quis ter... ...
Eis quanto comum de facto sou,

Ao ponto de ter vulgar umbigo;
Peculiar adereço em mim, o estar
Sem estar, a dor sem hiato ou subtítulo,
Desprezo de inglorioso palhaço de circo,
Desses sem palco nem apreço,

Velhaco tecido a palha, pseudónimo-erudito
E canalha com firma-reconhecida, mal pago
Taberneiro, manhoso com ácaros nos
Testículos e na mal-formada verga
O sujo, besuntado a tinto e canja de

Galinha gorda, na barriga tatuo "marujo",
Sem jamais ter raspado nos flancos
Um batelão, nem de joelhos o convés,
Contramestre da ignomínia, da infâmia,
O coração, se pudesse, fugiria de mim,

Tão vulgar sou, sete sobre sete dias
Suo que nem camelo perante o alfage
Mauritano, cerebelo de Sapo e Urubu,
Pinta de fuinha, saio ao meu avô Garim,
Morto externamente vivo ...











Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 18/07/2019 17:16  Atualizado: 18/07/2019 17:16
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2040
 Re: Sinto saudade do que não sou ...
"Nada mais descabido que o cabide para o juízo"


"Trago em mim um cabide em falta e o juízo doado de um argonauta tirano de lata"

Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 13/08/2019 11:43  Atualizado: 13/08/2019 11:43
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2040
 Saudade do que fui ...
AUSÊNCIA

Por muito tempo achei que ausência era falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.

Carlos Drummond de Andrade