https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Reflexão : 

INDOMÁVEL MORTE

 
Tags:  morte  
 
 
Morri sem saber que tinha morrido
Vivi sem saber que tinha vivido
Amei sem saber que tinha amado
Sepultei-me sem saber que me tinha sepultado
Dormi sem saber que tinha dormido
Sonhei sem saber que tinha sonhado
Senti dor sem saber que tinha sentido
Foi uma árvore sem saber que tinha sido
Menti sem saber que tinha mentido
Matei sem saber que tinha matado
Sofri sem saber que tinha sofrido
Ignorei sem saber que tinha ignorado
Perdoei sem saber que tinha perdoado
Esqueci sem saber que tinha esquecido
Respirei sem saber que tinha respirado
Morri na solidão ao sabor do vento
Vivi na escuridão como um fantasma
Amei com paixão no meu pensamento
Sepultei-me na vereda do desgosto
Dormi entre as trevas do inferno
Sonhei na esperança da liberdade
Sinto as labaredas da saudade
Fui as folhas secas caídas da árvore
Menti com vergonha do um momento
Matei o esquecimento com fragas do olvido
Sofri sem tédio ou até dor do desgosto
Ignorei os meus próprios sentimentos
Perdoei tudo o que tinha de ser perdoado
Esqueci que as palavras rasgam a dor
Respirei para sentir os ventos agrestes
Morri com o espelho das amarras na face.


Nasci em Angola - Luanda em 1966.
Sou Portuguesa- Lisboa.
Casada e feliz-1985
Tenho 8 filhos que são o sol da minha vida.
Não me considero poetisa
descobri escrevendo por acaso

 
Autor
IsabelRFonseca
 
Texto
Data
Leituras
225
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
3
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/05/2017 17:28  Atualizado: 08/05/2017 17:28
 Re: INDOMÁVEL MORTE
Um viver cheio de desapontos, triste e, Belo
Lindo texto. Bjs


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 11/05/2017 11:57  Atualizado: 11/05/2017 11:57
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 28181
 Re: INDOMÁVEL MORTE
Descantos trazidos pelos ventos da vida onde o viver se trona despersivel. um poema triste e sentimental