Sonetos : 

encarcerados, multicelulares

 
Tags:  janela    célula  
 
[_][_][_]


Umav


encarcerados, multicelulares
seres humanos pendem, cabisbaixos
por fio tenso: o abismo lá debaixo
não causa espanto ou trocas oculares

na pequenez da cela, tão distantes
pelas janelas, longe de seus lares
escutam ao mundo, mudos, singulares
a lhes chamar plurais, mas como dantes

fazem-se surdos. cegos, ignorantes
crendo-se reis, prostrados. por pesares?
não, pelo próprio umbigo, indigesto

no microscópio, seres celulares
levam no elevador. cabeça abaixo
num cumprimento: somos nossos gestos

 
Autor
Umav
Autor
 
Texto
Data
Leituras
76
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
22 pontos
2
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
*Anggela*
Publicado: 19/05/2017 14:58  Atualizado: 19/05/2017 14:58
Colaborador
Usuário desde: 22/04/2015
Localidade:
Mensagens: 2669
 Re: encarcerados, multicelulares
Eu gostei do seu poema.

Bem profundo.

Um abraço,

Anggela

Enviado por Tópico
Lhuara
Publicado: 19/05/2017 15:04  Atualizado: 19/05/2017 15:04
Muito Participativo
Usuário desde: 29/12/2016
Localidade:
Mensagens: 93
 Re: encarcerados, multicelulares
Intenso. Bom.