https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

circula aquele zumbido concêntrico do sangue

 
......
.
.
..............
..
.
.
.
.......................
************
****
*
*******
.............
.
.
.
........


… pouco me importa o esforço em pousar murmúrios
sufocam cada instante

quando imagens ao derredor
jazem lentamente

rio acima. Fenda absurda formada por raios

ainda tenros
ainda amiúde

sacodem acordares vertiginosos
[nossos?]

se te cubro do vento que não enxergo
em metamorfose plena

.mas

no desassossego

circula aquele zumbido concêntrico do sangue. Goteja sem parar.

Pétalas de rosas bravias
dançam em frenesim a cada gesto teu

não as colhas rentes. Os ecos
depois.



(Ricardo Pocinho – O Transversal)



"Floriram por engano as rosas bravas
No inverno:veio o vento desfolha las..."
(Camilo Pessanha)

http://ricardopocinho.blogspot.com/

 
Autor
Transversal
 
Texto
Data
Leituras
310
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
30 pontos
10
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 02/07/2017 08:50  Atualizado: 02/07/2017 08:50
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1587
 Re: circula aquele zumbido concêntrico do sangue
"...Goteja sem parar..."
Vento descoberto às aranhas, tempestade.
Ora leva nuvens escuras e deixa o céu limpo.

Estás nos meus favoritos.
Obrigado.

Abraço


Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 02/07/2017 12:17  Atualizado: 02/07/2017 12:17
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15132
 Re: circula aquele zumbido concêntrico do sangue
Aqui Diógenes apagaria a sua lanterna e diria: Enfim, encontrei um homem... De letras! Um vocabulário impecável em versos saborosos. Dão prazer ao leitor. Destaco: "Pétalas de rosas bravias
dançam em frenesim a cada gesto teu

não as colhas rentes. Os ecos
depois." Bravo! Abraços, poeta!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 02/07/2017 14:58  Atualizado: 02/07/2017 14:58
 Re: circula aquele zumbido concêntrico do sangue
E palavras para quê?... Sempre iluminando... ja te disse q admiro a tua escrita e q m encantas a tua alma?


Parabens poeta da luz. Um grand bjo.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 04/07/2017 20:43  Atualizado: 04/07/2017 20:52
 Re: circula aquele zumbido concêntrico do sangue. p/ Transversal
"não as colhas rentes. Os ecos
depois."


o que mais fere o nosso coração senão a viagem cíclica
do concreto e do abstrato? mas talvez aí é que resista
e insista aquele oxigênio vital do ânimo que dá sentido as coisas e, por conseguinte, à nossa máquina de criar subterfúgios à nossa própria existência.

"circula aquele zumbido...", ou seria, aquela 'vozinha' que nos resgata à vida, que faz o sangue ferver e alimentar nosso cérebro, afinal somos apenas, assim vejo, parte desse processo metamórfico...sabe que já me senti apenas um
invasor em todo esse processo...

"acordares vertiginosos..." (de repente, nesses insights,
temos as respostas pra tudo, até que as mesmas vão se escoando no relógio do tempo... às vezes nos sentimos um semideus, às vezes um derrotista face às nossas frustrações, mesmo aquelas que só em poesia externamos.)

"a cada gesto teu..." posso estar muito enganado e, se eu estiver, me corrija --, trata-se apenas do homem-só,
'e só pode estar estar o homem que sei que está só...' (poemeto meu). sem encontrar ressonância às próprias interrogações, cria-se a segunda pessoa, de ambos os sexos, no afã de dividir e fomentar respostas às intempéries do (seu, nosso) tempo, externadas em palavras que resultaram num grande poema.

Rehgge.


Enviado por Tópico
erro
Publicado: 04/07/2017 22:21  Atualizado: 02/01/2019 16:05
Colaborador
Usuário desde: 04/03/2016
Localidade:
Mensagens: 845
 Re: circula aquele zumbido concêntrico do sangue
gostei