https://www.poetris.com/
Poemas : 

sob a força devastadora das palavras

 
..........
.
..................
........
....................
.
...............................
.......................
************
**
*****************
*
*********
*
*************
************
...........

… interrompes as distâncias peremptórias
o clarão
este rosto a rosto

como se entendesses desertos
sem mar por perto
mesmo sabendo-o longe e nu
colado à escuridão visível destas linhas

sem retorno. Inebriam-me
constelações
grãos de areia colados ao corpo
ou os que restam depositados nos bolsos
das calças por sacudir

relíquias ávidas
da noite abundante

onde se viu
de repente
o ar nadando sem olhar para trás. Fosses tu

ave cansada
descansando no meu ombro esquerdo
após tão longa viagem. Tudo se encaixaria.

Mistérios. O som
esqueci-o

ante rumorejares de teu sorriso espraiando-se
sob a força devastadora das palavras. Agora

posso morrer-me sem desejar ressuscitar
só para rever dorsos níveos de ondas furiosas.

[vá lá entender os outros em mim
enquanto sempre lhes serei atento

mas
devastado pela vastidão
que me alcança]. Em cheio.

(Ricardo Pocinho – O Transversal)


[enquanto fumo mais um cigarro sem filtro, penso se as minhas entranhas ainda reagem ao espesso nevoeiro que as atinge, escondendo o curso errático do sangue… como um rio pelo inverno].




"Floriram por engano as rosas bravas
No inverno:veio o vento desfolha las..."
(Camilo Pessanha)

http://ricardopocinho.blogspot.com/

 
Autor
Transversal
 
Texto
Data
Leituras
180
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
52 pontos
6
7
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 16/07/2017 10:32  Atualizado: 16/07/2017 10:37
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1217
Online!
 Re: sob a força devastadora das palavras
Num mar de areia, navegando no ar alto, o pirata, terror dos sete ares, sente a cálida respiração da sua ave no pescoço esquerdo.
Os outros arranjam papagaios, araras, as feiticeiras corvos, ou uma gralha que esteja à mão.
Este não. Tem um formoso mimo que o mima, com a particularidade de ser uma fémea.
Portanto, é uma mima que o mima.

"...posso morrer sem desejar ressuscitar/só para rever dorsos níveos de ondas furiosas."
Lá estão os versos que insistes em levar-me ao comentário.
Assim estamos bem...

Abraço

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 16/07/2017 12:11  Atualizado: 16/07/2017 12:11
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 11955
 Re: sob a força devastadora das palavras
Lirismos de uma suavidade e mansidão que embala e acaricia os amantes da boa leitura . Destaco: " onde se viu
de repente
o ar nadando sem olhar para trás. Fosses tu

ave cansada
descansando no meu ombro esquerdo
após tão longa viagem." Parabéns pela arte e pela partilha. Abraços!

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 17/07/2017 00:11  Atualizado: 17/07/2017 00:11
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 13656
 Re: sob a força devastadora das palavras
Transversal

posso morrer-me sem desejar ressuscitar
só para rever dorsos níveos de ondas furiosas.


Perfeito! Levei!
Beijos!
Janna

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 18/07/2017 11:58  Atualizado: 18/07/2017 11:58
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 26040
 Re: sob a força devastadora das palavras
As palavras mudam momentos, mudam direções, diversifica ações. As palavras movem coisas que nem mesmo o mundo as mudam.

Enviado por Tópico
silva.d.c
Publicado: 19/07/2017 00:44  Atualizado: 19/07/2017 00:44
Da casa!
Usuário desde: 26/10/2010
Localidade:
Mensagens: 405
 Re: sob a força devastadora das palavras
mistérios...eu esqueci-me de tudo na vastidão onde me encontrei e abandonei certezas...esqueci-me de tudo...dos outros e até de mim para ser eu, para conseguir viver apenas num único folego...abraços

Enviado por Tópico
Emy
Publicado: 21/07/2017 03:34  Atualizado: 21/07/2017 03:39
Super Participativo
Usuário desde: 21/12/2016
Localidade:
Mensagens: 128
 Re: sob a força devastadora das palavras
Sabe Sol, as palavras devastam mas a falta delas muito mais... e fico assim sem as palavras certas para dizer o qnto suas palavras devastam dentro... fazem estragos rs claro no bom sentido pq suas poesias sao plenas e ardem, cortam,mas tbm curam e eu amo...


E não me esqueci de vir dar um abreijo pelo dia do amigo... sempre sempre... jamais esquecendo essa amizade de tantos anos que faz o meu sorriso mais bonito. Amodoro nossa amizade, vc, suas poesias... enfim boés e boés de abraços.


E obrigado por ser poesia. Por existir.