https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

hoje apenas colho ressacas.

 
..................................................................................................................................





noite a sós ao lume das estrelas...
eu tateando tua geografia...
a delícia de um sono sonhado...
do amor além ABC
tua língua me dizia
...

ah
mas o tempo
do tempo que eu não sabia
fazia-me moleque maluco
pois ali nosso tempo inexistia

ah
sem achar uma fresta à letargia
fiz-me refém deste silêncio
sistêmico
aflitivo
morreu a pueril fantasia

ora
mulher
que das minhas tolices ria
ter o futuro contigo
hoje era tudo o que eu queria

tudo passa
como carros apressados na rodovia
nossa direção contrária
e a tristeza de mim se apropria

nada mais me trará
teu olhar
teu respirar
teu cheiro
o suor de teus poros
nossos sentidos em sintonia

meus desejos ora se perdem
sem querer lágrimas me vertem
chorando numa cama fria


***











Tudo em mim se esvazia e me deixa cheio de tudo.

Rehgge


 
Autor
CamargoRehgge
 
Texto
Data
Leituras
249
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
24 pontos
2
3
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Transversal
Publicado: 13/08/2017 07:17  Atualizado: 13/08/2017 07:17
Colaborador
Usuário desde: 02/01/2011
Localidade: Fortaleza - Lisboa
Mensagens: 3631
 Re: hoje apenas colho ressacas.
bem....
que declaração Poeta Maior CamargoRehgge
depois o título
"mas o tempo", que faz com que a memória regresse ainda mais presente que faz com que
"hoje era tudo o que eu queria"
olhar
respirar
cheiro
"pois ali nosso tempo inexistia", seria interessante regressar nem que fosse por um segundo ou dois, e confirmar
"sentidos em sintonia". O Poeta será sempre um apaixonado, sempre, e venham-me os mais novos contar que tal é apenas um disfarce... e clero a solidão
"meus desejos ora se perdem
sem querer lágrimas me vertem
chorando numa cama fria".
Quanto ao título essa imensidão de saudade, memória (ela reaparece sempre), porque não dor "hoje apenas colho ressacas" esse recuo único e passageiro. Novas marés aparecerão meu bom amigo.

Muito obrigado pelo que li aqui nesta madrugada Poeta Maior

Grande abraço meu amigo