https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Desordenada.mente

 
Em boa verdade
eu não soube decifrar os signos
que me enviavas numa flor
ou numa pedra
ou num montículo de sementes

de onde destacavas aquela que
_ dizias_
talvez fosse minha
um dia.

Dizias-me palavras leves

[ às vezes lamentos de violinos ]

e os meus olhos despidos
a entrarem crédulos dentro do teu tempo.

O teu tempo.
Oculto num labirinto de fascínios e credos transitórios

cárcere de medos e silêncios
a estruturarem (des)afetos.

Sei agora de um equilíbrio volátil
consumido em marés vazias.

Quando deslizavas as mãos
pelas paredes comprimidas por uma imensidão
de verbos que te devoravam o passado

e te asfixiavam o futuro.

E tudo se atravessa nesta folha morta
nestes parágrafos
sedentos da intimidade de uma crença construída
em janelas viradas à claridade do Universo.

Este poema poderia ser uma prece.

Porque este poema é como um rio a fluir desordenadamente
é a fuga para além do olhar
para além do ruído que corrói os lugares
e os nomes
e a verdade do teu mundo intocável
onde o meu coração permanece.



maria

 
Autor
outonal_idade(s)
 
Texto
Data
Leituras
263
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
22 pontos
8
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 04/09/2017 08:00  Atualizado: 04/09/2017 08:00
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1579
 Re: Desordenada.mente
Benditos os desordenados.
E os desencontrados, que trocam olhares e promessas e presentes.

Prende-me o teu poema de amor, muito bem construído, precisamente no momento "...de verbos que devoravam o passado/ e asfixiavam o futuro...".

Não devo destacar uma estrofe, nem um verso.
Teria de fazer um copy paste do poema todo.

Favoritei.

Bj


Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 04/09/2017 13:23  Atualizado: 04/09/2017 13:23
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 15982
 Re: Desordenada.mente
Maria

Porque este poema é como um rio a fluir desordenadamente
é a fuga para além do olhar
para além do ruído que corrói os lugares
e os nomes
e a verdade do teu mundo intocável
onde o meu coração permanece.


Belíssima prece! Sensível! Adorei!
Beijos!
Janna


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 06/09/2017 19:36  Atualizado: 06/09/2017 19:36
 Re: Desordenada.mente
Oh!

Que espetáculo de poesia, usando as figuras de línguangens na hora certa!


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 09/09/2017 12:35  Atualizado: 09/09/2017 12:35
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29152
 Re: Desordenada.mente
Palavras que vem de um rio onde as águas choram, os leito grita a dor dos intensos sentimentos, belo poema sentiu mentamental