https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

PALAVRAS QUE AMAMOS*

 
Nós que versamos com zelo, seriedade e sensibilidade, temos palavras da nossa incrível Língua Portuguesa que de alguma forma nos apaixonam, ou pela etimologia, ou pela sonoridade, ou pelo significado pessoal...enfim, proponho que coloquemos aqui nos comentários PALAVRAS QUE AMAMOS e o motivo. Se quiser a etimologia e outras considerações.
Convido-te a participar quantas vezes quiser reverenciando nossa Língua.
Partilhando tua paixão, sentimento e conhecimento!
Vou iniciar.

 
Autor
karinna*
Autor
 
Texto
Data
Leituras
236
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
53 pontos
21
4
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
karinna*
Publicado: 06/12/2017 22:36  Atualizado: 06/12/2017 22:43
Participativo
Usuário desde: 26/11/2017
Localidade:
Mensagens: 32
 Re: PALAVRAS QUE AMAMOS* ESPLÊNDIDO
*
ESPLÊNDIDO

esplêndido
es·plên·di·do

adj
1 Que possui esplendor; brilhante, luminoso.
2 Que é luxuoso; grandioso, magnificente.
3 Que é excelente, maravilhoso.
ETIMOLOGIA
lat splendĭdus.

Essa palavra considero-a linda...gosto de usa-la bastante pois sou uma pessoa intensa, quando gosto...gosto muito...quando considero muito bonito considero esplendoroso! rsrs
Essa semana li essa palavra que adoro num soneto magnifico do grande poeta RicardoC...e fiquei com ela na mente.
https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=331100



Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 07/12/2017 12:06  Atualizado: 07/12/2017 12:07
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 10792
 Re: PALAVRAS QUE AMAMOS* P/kARINNA*
ESPERANÇA! Acho uma palavra linda, acreditar até ao fim!...
es·pe·ran·ça
(esperar + -ança)

substantivo feminino
1. Disposição do espírito que induz a esperar que uma coisa se há-de realizar ou suceder.
2. Esperam, expectativa.
3. Coisa que se espera.
4. Confiança.
5. [Religião] Uma das virtudes teologais!

Beijocas grandes , uma excelente iniciativa, querida Amiga, parabéns! Vó


Enviado por Tópico
F.Serra.Pintor
Publicado: 07/12/2017 12:38  Atualizado: 07/12/2017 12:38
Colaborador
Usuário desde: 11/08/2016
Localidade:
Mensagens: 1038
 Re: PALAVRAS QUE AMAMOS* P/ karrina
karinna
Nós amamos as palavras e amamos através das palavras, querendo com isto dizer que as palavras são de certa forma o som do sentimento!
Abraço
f.serra




Enviado por Tópico
Jdcc1
Publicado: 07/12/2017 12:45  Atualizado: 07/12/2017 12:45
Da casa!
Usuário desde: 17/10/2017
Localidade:
Mensagens: 231
 Re: PALAVRAS QUE AMAMOS*
Gosto da palavra QUALQUER

Ela é única na língua portuguesa, pois seu plural é no meio "quaisquer".


Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 07/12/2017 13:06  Atualizado: 07/12/2017 13:06
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Setúbal, Portugal, Azeitão
Mensagens: 876
 Serendipity














Serendipity - Serendipidade

Serendiptismo ou ainda Serendipitia, é um anglicismo que se refere às descobertas afortunadas feitas, aparentemente, por acaso.

A história da ciência está repleta de casos que podem ser classificados como serendipismo. O conceito original de serendipismo foi muito usado em sua origem. Nos dias de hoje, é considerado como uma forma especial de criatividade, ou uma das muitas técnicas de desenvolvimento do potencial criativo de uma pessoa adulta, que alia perseverança, inteligência e senso de observação.

“ O acaso só favorece a mente preparada "


A palavra Serendipismo se origina da palavra inglesa Serendipity, criada pelo escritor britânico Horace Walpole em 1754, a partir do conto persa infantil Os três príncipes de Serendip. Esta história de Walpole conta as aventuras de três príncipes do Ceilão, actual Sri Lanka, que viviam fazendo descobertas inesperadas, cujos resultados eles não estavam procurando realmente. Graças à capacidade deles de observação e sagacidade, descobriam “acidentalmente” a solução para dilemas impensados. Esta característica tornava-os especiais e importantes, não apenas por terem um dom especial, mas por terem a mente aberta para as múltiplas possibilidades.





Serendib é o nome que os comerciantes árabes da antiguidade deram ao actual Sri Lanka (um entre vários nomes dados a esta ilha através de sua história, sendo que os cartógrafos gregos antigos a chamavam de Taprobana; já o atual nome do país significa Terra Resplandecente no idioma sânscrito, conforme registrado nos antigos épicos indianos Mahabharata e Ramayana; finalmente, com a chegada dos portugueses, a ilha recebeu o nome luso de Ceilão, do qual deriva a versão inglesa Ceylon).


A serendipidade pode desempenhar um papel importante na busca da verdade, mas em função do tradicional comportamento científico e pensamento científico baseado na lógica e na previsibilidade é, muitas vezes, ignorado na literatura científica.

Pesquisadores bem sucedidos conseguem observar os resultados de forma atenta,com disposição para a analisarem um fenômeno sob as mais diversas e diferentes perspectivas. Questionam a si mesmos sobre pressupostos que não se encaixam com as observações empíricas. Percebendo que eventos serendipidados podem gerar importantes ideias de pesquisa, estes pesquisadores reconhecem e apreciam o inesperado, encorajando seus assistentes a observar e discutir fatos inesperados.

Serendipidade pode ser obtida em ambientes de grupos a fim de que a “massa critica” de cientistas multidisciplinares trabalhando unidos em um ambiente que favorece as comunicações, firmando a ideia de que o trabalho e interesse de um pesquisador pode ser compartilhado com outro que pode descobrir uma nova aplicação para um novo conhecimento.


Ao invés de ter o mesmo significado que eventos aleatórios, a serendipidade não pode ser assumida, rotineiramente, de forma errada como sinônimo de um “acidente feliz” (Ferguson, 1999; Khan, 1999), de descobrir coisas sem estar buscando por elas (Austin, 2003), ou de “uma agradável surpresa (Tolson, 2004)..

O New Oxford Dictionary of English define serendipidade como a ocorrência e o desenvolvimento de eventos, por acaso, de forma satisfatória ou benéfica, entendendo o acaso como qualquer evento que acontece na ausência de qualquer projeto óbvio (aleatoriamente ou acidentalmente), que não é relevante para qualquer necessidade presente, ou no qual a causa é desconhecida.

Inovações apresentadas como exemplo de serendipidade apresentam uma característica importante: foram feitas por indivíduos capazes de “ver pontes onde outros viam buracos” e ligar eventos de modo criativo com base na percepção de um vínculo significativo.

A chance é um evento, a serendipidade uma capacidade (astuciosa). O Prêmio Nobel Paul Flory sugere que invenções significativas não são meros acidentes.


Nikola Tesla[editar | editar código-fonte]
Tesla contava que enquanto declamara um poema de Goethe num parque teve a visão do esquema primordial de funcionamento da Corrente Alternada, qual inventou, ou descobriu, como preferia dizer. Afora suas inestimáveis marcas de brilhantismo cientifíco e tecnológico também relatou que percebeu a hora da morte de sua mãe, o que encarou com o conceito de sintonia, usada na comunicação sem fio que inventou, qual patenteou as bases para a as versões derivadas do rádio posteriormente pelo Padre Roberto Landell de Moura e depois também por Guglielmo Marconi, o que tais eventos mais ou menos concomitantes corroboram também para a teoria da sincronicidade de Carl Jung .

Existem anedotas de grandes descobertas, como a de Cristóvão Colombo, Newton, etc., contudo o grau de irrefutabilidade da tese nem sempre encontram rescaldo e aceitação histórica como a do puxo, ou são nomeadamente invenções didácticas ou divertidas.


Arquimedes (287-212 a.C.), um grande matemático e inventor grego, tomava seu banho imerso em uma banheira, quando teve o que hoje chamamos de insight e, repentinamente, encontrou a solução para um problema que o atormentava havia tempos. Seria a coroa do rei de Siracusa realmente de ouro? Dizem que Arquimedes teria saído à rua nu gritando Eureka! Eureka! (Encontrei!). Ele havia descoberto um dos princípios fundamentais da hidrostática, que seria conhecido futuramente como o "Princípio de Arquimedes".











Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 07/12/2017 14:51  Atualizado: 07/12/2017 14:52
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 12692
 Re: PALAVRAS QUE AMAMOS*
Certa vez estava assistindo um desenho animado, "O Ursinho Puff", e um dos personagens, o "Tigrão" disse uma palavra que nunca me esqueci: "Maravilhante". É um neologismo. Não existe na nossa língua portuguesa. Mas me encantou muito pela sonoridade e pela união de duas palavras, maravilha e brilhante. Parabéns pela iniciativa. Beijos do lado de cá!


Enviado por Tópico
nereida
Publicado: 07/12/2017 15:45  Atualizado: 07/12/2017 15:45
Da casa!
Usuário desde: 27/08/2017
Localidade: São Paulo
Mensagens: 331
 Re: PALAVRAS QUE AMAMOS*
Oi vamos lá:
Voejar.
Estar no ar.
Volitar
Esvoar .
Quantas palavras em uma só.
O desejo de voar, voar...

bjs


Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 08/12/2017 17:23  Atualizado: 08/12/2017 17:23
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8653
 Re: PALAVRAS QUE AMAMOS*/ Para Karinna
Oieee Karinna amada, ando um pouco ausente do site, mas não esqueço daqui e nem dos poetas e poetisas que aprecio muito!

Ah, as palavras quase todas lindas, a própria “palavra” o é, mas algumas ficam inseridas na mente e no coração, e sempre faz parte dos poemas da gente, não é mesmo?

Gosto muito das palavras “voejar" (como a Nereida) lavrar - – orvalho – entardecente – linfa – preamar – fecunda – alforria – benfazeja –

Ah são tantas... paro por aqui, senão vou encher o mural kakakakak....
Parabéns pela postagem, excelente ideia! Gostei!

Beijos doces, minha amiga!



Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 08/12/2017 20:15  Atualizado: 08/12/2017 20:17
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 14454
 Re: PALAVRAS QUE AMAMOS*
Karinna
A primeira palavra que pensei foi perfeito! Amo essa palavra, deve ter reparado, já registrei essa palavra muitas vezes aqui no site. Há quem diga que ninguém é perfeito, exceto o Pai, mas aos olhos Dele somos todos perfeitos. Também conseguimos amar profundamente as pessoas mesmo com seus defeitos, dizemos: - Você é perfeito para mim...
Mas é com paixão, com emoção que revelo a segunda palavra que amo.
Compaixão: sentimento de tristeza causada pela tragédia alheia e que desperta a vontade de ajudar, de confortar quem dela padece.
Tenho esse sentimento forte dentro de mim desde pequena, mas o nome dele só aprendi mais tarde! Lembro de um colega negro na terceira série do fundamental 1 que tinha os olhos mais tristes que já conheci, chamava-se Paulo, na quadrilha junina nenhuma menina queria ser o par dele e aquilo doeu em mim, senti o sofrimento dele, fui capaz de me colocar no lugar dele, falei que seria seu par e de todo coração desejei que ele nunca tivesse passado por aquele constrangimento, pela rejeição.
Beijos!
Janna
Ops: A palavra beijo solta muito da minha boca! Adoro! Rsrs


Enviado por Tópico
karinna*
Publicado: 13/12/2017 21:34  Atualizado: 13/12/2017 21:34
Participativo
Usuário desde: 26/11/2017
Localidade:
Mensagens: 32
 Re: PALAVRAS QUE AMAMOS* FLAMEJANTE
*adoro essa palavra
Já usei muitas vezes em meu ensaios...
Aprecio a sonoridade dela e a sua intensidade.

fla·me·jan·te

adj m+f
1 Que flameja: “Nós estávamos espantados; o rosto do ancião se havia tornado rubro, seus olhos flamejantes… Seus lábios tremiam convulsivamente, sua mão rugosa tinha três vezes nos abençoado” (JMM).
2 Que lança chamas: “Entretanto, o combate prossegue, atroz, tremebundo, a cada instante reclamando novas vidas para imolar no altar flamejante do deus Marte” (JU).
3 Que é resplandecente: As luzes flamejantes da cidade vistas a distância constituíam um belo espetáculo.

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES
Sin: flamante, flâmeo.

ETIMOLOGIA
der de flamejar+ante.