https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

À vontade presa ...

 
À vontade presa ...
 





De mãos apensas ao movimento do corpo,
Deixei as circunstancias de que me faço
Tomarem conta da realidade com que sofro,
Memórias de algum lugar não sei donde e pra que uso,

Se não preciso vê-las, mãos apensas ao que penso
Pensamentos nítidos, reais braços, cansaços.
De mãos apenas em equilíbrio que se supõem movidas,
Adaptalizáveis ao que faço, como boca sorrido

À mágoa, à vontade presa, ao embaraço
E antes que a pouca fé em mim me vença
Aqui deixo as minhas mãos apensas ao corpo,
Qual me circunda por cima e por baixo,

Talvez me lembre quanto separado de mim eu ando
E para o que serve no chão crescer erva tão ruim,
Sentido pra tud'isto e que uso dar às mãos...
Memórias de algum lugar não este.

De mãos apensas a um movimento suposto
Que me não prolonga nem desejo mas trago
Preso ao corpo como restos de diversas outras vidas,
De que me faço, às quais regresso, apenso

À vontade, preso ao fraco peso meu...




Jorge Santos(01/2018)
http://namastibetpoems.blogspot.com









Jorge Santos, aliás Joel Matos,aliás namastibet

 
Autor
Jorge-Santos
 
Texto
Data
Leituras
498
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
45 pontos
3
5
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 14/01/2018 20:56  Atualizado: 14/01/2018 20:56
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 2041
 Re: À vontade presa ...
Open in new window

Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 15/01/2018 11:12  Atualizado: 15/01/2018 11:12
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12514
 Re: À vontade presa ...P/Jorge-Santos
...cada fisionomia pior que a outra, pessimista incrédulo!
Abraço amigo Vó

Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 25/06/2019 17:17  Atualizado: 25/06/2019 17:22
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 982
 Ficou tão triste a gente destes sítios
Ficou tão triste as gentes destes sítios ...

Ruy Bello