https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Marina

 
De olhos castanhos e cabelos louros,
Envolta num magnífico e feérico luar,
Revela-se, assim, o divino sonho;
Qual uma bella fiore dell´Italia, desabrocha-se à visão.
Não como uma flor de um campo ou jardim qualquer,
Mas uma flor-Marina, nobre e romana
De linhagem operística, do bel canto de Caruso.
Una furtiva lagrima escorre-me pelo rosto,
ao vê-la ali, tão bela, tão ela... ah...

Num ato mudo, estendo-lhe a mão...

Eu, pobre Pierrot
Que desta fonte não pode beber
Sem todo o encanto temer...
Quem sabe um dia há de aparecer
Alguém que me queira entender...

Sonha, Pierrot...

“A lua ilumina o teu belo corpo
Que flutua sereno pelo espaço
Um corpo puro, anjo desnudo
Muito delicado e bem traçado...

Ao longe vejo-te admirado
Serias tu a minha amada?
Não! não se toca no que é divino
Nem se tem anjo por namorada...”

Num instante...

A quimera fez-se real, entregue aos meus braços...
num movimento quase mágico...
O tempo para, enquanto os nossos corpos, feito bailarinos,
correm nus ao sereno da madrugada...


Eu tenho um Eu verdadeiro que só Aquela que eu procuro pode libertar! - ainda estou desenvolvendo essa teoria...

 
Autor
Rafael007
Autor
 
Texto
Data
Leituras
558
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 27/12/2017 20:19  Atualizado: 27/12/2017 20:19
Usuário desde: 07/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 16055
 Re: Marina
Poesia pura, de primeira grandeza, leve, erudita, mansa e morna como deve ser. Apreciei por demais. Parabéns!