https://www.poetris.com/
Poemas -> Intervenção : 

"Ato do impossível"

 
 


"(...)o coração em dois me partes. Jogai fora a metade que não presta, para com a outra parte serdes pura."

(Hamlet) Ato III, Cena IV












Nenhuma travessia e nada de lugar algum
Nem mesmo os olhos brilhantes, furiosos..
É tentativa e erro! Um quadro fixo, incomum
Não serve a deixar-lhe em dedos expostos

Não é calmaria, mas não se deixa enganar
Foi a quase-tempestade tão intitulada: tua!
E não restou-se em margens e nunca tentar
Pois, era pra ser simples, era pra te ser nua

E agora, um arremesso deste contrato e fim
Uma parte dedicada a você, o amor de mim
E agora, atravessa paredes, sonhos e mais

Fosse metade da arte que te deixei pra trás
Fosse a noite, tão perversa a dormir solene
E eu ainda te seria.. em lima que te desenhe















..




 
Autor
Azke
Autor
 
Texto
Data
Leituras
154
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
AlmaMater
Publicado: 12/01/2018 21:51  Atualizado: 12/01/2018 21:51
Da casa!
Usuário desde: 13/04/2017
Localidade:
Mensagens: 448
 Re: "Ato do impossível"
... sempre enigmaticamente Bom! :)

bjs

AM