https://www.poetris.com/
Poemas : 

Estratosfera

 
Tags:  Canto Curto  
 
Ateias em mim
o acto
de provar o ar a esmo.

E no céu
do meu palato
que se dilua
a fome
em gula.

Num repente
que se repete,
sem me reprovar,
inspiro
eu mesmo
esse teu ar.


A minha pátria é a língua portuguesa.
Bernardo Soares
www.poemassagem.blogspot.pt

Por opção não uso o mais recente acordo ortográfico.

Saibam que agradeço todos os comentários, de coração...
Por regra não respondo.



 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
121
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
33 pontos
1
4
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
atizviegas68
Publicado: 18/02/2018 11:28  Atualizado: 18/02/2018 11:34
Colaborador
Usuário desde: 09/08/2014
Localidade: Açores
Mensagens: 1340
Online!
 Re: Estratosfera
O título leva-nos a ver a dimensão horizontal do ar entre as váras camadas nos corpos. rs
O ar flui respirável e pode aumentar de temperatura.
O ar que dás no poema, não falta, e deseja-se mais.
Gosto das imagens que me levas a ver!
Um abraço


Open in new window

René Magritte (1898-1967), «Les Amants» (I) [«Os amantes» (I)]; 1928; Óleo sobre tela; 54 × 73,4 cm; New York [Nova Iorque], Museum of Modern Art (MoMA)