https://www.poetris.com/
Poemas : 

...de um doce sopro

 
 
Ah esse sopro que suaviza minha face
O carinho do instrumento que molha meu rosto
Transforma-o em estrada sinuosa que me escapa
E me perco nas curvas da canção do ontem
Que me lembra do fruto ainda amargo que sou

Abençoadas árvores símbolo da vida encarnada
Diferentes frutos vindos de diferentes galhos
Momentos que aqui chamamos segundos
Que ao se encher de eternidade tornam-se poeira

Alguns adocicados e coloridos
Outros ainda apodrecidos
Mas ao cair na terra da misericórdia divina
Ressurgem-se em novas sementes

E um novo fruto renasce em um ciclo que se repete
Quase eternamente como a canção que não se cala
Até que sobre o mel do orvalho amanhecem doces
Levando à terra sementes de uma nova árvore
... que agora se chama amor

 
Autor
Correa
Autor
 
Texto
Data
Leituras
169
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
6
4
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 28/03/2018 20:57  Atualizado: 28/03/2018 20:57
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 14908
 Re: ...de um doce sopro
Correa
Que linda inspiração! Parabéns!
Gostei imensamente!
Beijos!
Janna


Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 29/03/2018 16:10  Atualizado: 29/03/2018 16:10
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 11221
 Re: ...de um doce sopro P/Correia
...na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma". O amor é sempre amor e que Jesus esteja no coração de todos nesta Santa Páscoa!
Aleluia! Abraço para si e toda a família Vó


Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 14/04/2018 11:02  Atualizado: 14/04/2018 11:02
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade: Algures em Portugal
Mensagens: 1232
 Re: ...de um doce sopro
A minha vida é feita de tristezas felicidades e ao mesmo tempo amor

Fernando Pessoa


E um novo fruto renasce em um ciclo que se repete
Quase eternamente como a canção que não se cala
Até que sobre o mel do orvalho amanhecem doces
Levando à terra sementes de uma nova árvore
... que agora se chama amor

Um abraço Correa