https://www.poetris.com/
Poemas : 

Quando um homem se veste de rato

 
A vida é, em média, uma constante
falta de inspiração.
E o que devia ser um preparo
para que aceite fosse este facto,
é antes a humilhação
e a correria de um rato.

O rato não escala paredes,
equilibra-se na superfície estreita,
e chega pela corda ao barco.
O rato rói a dispensa
e coloniza a ilha-da-fome
quando um homem se deita
mais fraco.

Mas o rato não se quer deitar
de pernas para o ar
porque a migalha dá-lhe a corrida.
E o homem dorme, ouve o mar
e esquece a ferida.

A vida é, em média, a transformação
conforme a luz e o tacto.
E é quando falta a inspiração
que um homem se veste de rato.


Descentralizando aquilo que é demasiado óbvio... que já não é certo, nem surpreende... agregando um simples lar... à central do esforço... ao conforto que prende... (Ombuto - A Fúria das Palavras).

 
Autor
Ombuto
Autor
 
Texto
Data
Leituras
124
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Ombuto
Publicado: 12/06/2018 17:03  Atualizado: 12/06/2018 17:03
Da casa!
Usuário desde: 27/03/2011
Localidade: Angola
Mensagens: 339
 Re: Quando um homem se veste de rato
Open in new window

Enviado por Tópico
Ombuto
Publicado: 12/06/2018 17:06  Atualizado: 12/06/2018 17:06
Da casa!
Usuário desde: 27/03/2011
Localidade: Angola
Mensagens: 339
 Re: Quando um homem se veste de rato

Enviado por Tópico
Joel-Matos
Publicado: 12/06/2018 20:17  Atualizado: 12/06/2018 20:17
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Setúbal, Portugal, Azeitão
Mensagens: 1267
 Re: Quando um homem se veste de pato
nada mais há a dizer

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 14/06/2018 16:50  Atualizado: 14/06/2018 16:50
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1464
 Re: Quando um homem se veste de rato
Quando fazemos a comparação, obviamente ficamos a perder.
O teu poema faz lembrar-me dum meu que chamei de burrato, porque os ratos são roedores muito produtivos no ciclo da reprodução e são como as baratas e as bactérias: estavam cá antes de nós e cá ficarão quando formos extintos (olhem o exemplo da peste negra).
A lei da sobrevivência é mais implacável do que a do mais forte. A lei de Darwin ainda não previu ratos evoluidos como os Homo Sapiens. Mas lá sobreviver enquanto espécie sabem eles.
Esquivos, rápidos, colonizadores, mas não creio de eleminem todas as outras. Era engraçado ver megaratos a destruir tudo o que mexe, como nós.

Gosto muito do versus.
O nome a sério era "against", do contra e sei que te inspiraste um pouco no "rats" neste teu.
Bom poema.
"Ben the two of us need to look no more..."
Abraço