https://www.poetris.com/
Poemas -> Intervenção : 

"Terreno"

 
Tags:  confessável  
 


"Orfeu rebelde, canto como sou: Canto como um possesso Que na casca do tempo, a canivete, Gravasse a fúria de cada momento; Canto, a ver se o meu canto compromete A eternidade no meu sofrimento. Outros, felizes, sejam rouxinóis... Eu ergo a voz assim, num desafio: Que o céu e a terra, pedras conjugadas Do moinho cruel que me tritura, Saibam que ha' gritos como há nortadas, Violências famintas de ternura. Bicho instintivo que adivinha a morte No corpo dum poeta que a recusa, Canto como quem usa Os versos em legitima defesa. Canto, sem perguntar à Musa Se o canto é de terror ou de beleza."

(Miguel Torga)
ORFEU REBELDE












"desilusão por entrega de esperança ou fé, ou.em linha tênue de mente caída-prostituída, e.ali.
em descompasso da entrega dos rastros por recontagem e nula indecisão..."






tantas milhas finais
tantas
pistas escorridas

percorridas,

às causas incautas de um efeito presidido aos desencantos
ou algo em ti que não te for
ou
por
um alvo,
rente à ilha reclamada de vicissitudes
ou esméra pretensa(criada), virtude
à
minha.
incapacidade de retirar-me em tempo à convulsão
ou ilusão-morta, seja esta...


"eu não,

poderia resistir
eu não,
compreenderia, mesmo assim
eu,
seguiria"



palavras, sejam estas...


das
curvas gastas por caminhos ou tempestades de horas dispersas,
sejam,
tão vastas e,
e horas e horas e horas sem fim

às chamas quais pertencerem, às,
descidas cadentes por lago profano em indescritivel fogo e tombo e de mim.

mas,
ainda assim eu seguiria, sim.

"em
farda e pele

em
quedas e febre"


quais assiduas feridas remanescentes ao meu corpo já em declinio
mas
por ensejo
por
completo abuso dos meus próprios e medos
eu
os enfrentaria mesmo, à me perder
mesmo,
que me calem às mãos
ou à morada amordaçada dos meus pés
foda-se,
eu digo: foda-se,

eu seguiria,
mesmo assim...


...




esta.

minha,



pátria por flama
de hino ávido em conflito e aos olhos, por dizer
à
desatino
dos meus unos conceitos absolvidos em culpa-arbítrio,
em,
assecla tatuada em meu coração enfermo, e.que ainda pensa em te ter

"ah!
mesmo quando me cobrem de chamas ou açoitam-me os olhos!!

ah!
por descuido avesso ao deste amor, em que me afogo!!"


eu,

arrancá-lo-ei tal qual fiz, às minhas asas, e.sim.






























 
Autor
Azke
Autor
 
Texto
Data
Leituras
122
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
0
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.