https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

sem título I (quem quiser que o coloque)

 
.....
.
.........
........
*******
*[***************
*
............
.
........................
.......
.............................
.............
**********
*********************
*****
*

é sempre caos
quando a mímica cala nevoeiros repentinos.
talvez ouse abrir velas desnudadas
até norte. tens tudo isso dentro de ti?

as amendoeiras ainda esperam invernos
cousas da vida repetem-se
longe demais
sempre distantes
símiles à loucura de uma só noite.
[se te beijo e estrelas cadentes passam
sem avisar
acordamos no meio do universo
pelas cores vivas

do arco-íris em chamas] interminável

indeterminado.
virgem. de atalaia a ventos e marés

meu corpo sangra
viagens repetem-se mar acima
pelas ondulações sem reflexo:
sombras
pessoas
amálgamas indistintas

geram tempos e passos ao derredor
da saudade que me aprisiona
já gasta
esfarelada
ultrapassada. plena.

toco-a ao de leve
deste lado do horizonte.

(Ricardo Pocinho – O Transversal)


"Floriram por engano as rosas bravas
No inverno:veio o vento desfolha las..."
(Camilo Pessanha)

http://ricardopocinho.blogspot.com/

 
Autor
Transversal
 
Texto
Data
Leituras
392
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
18 pontos
4
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 05/08/2018 10:26  Atualizado: 05/08/2018 10:26
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade: Algures em Portugal
Mensagens: 2688
 Re: sem título I (quem quiser que o coloque)
[se te beijo e estrelas cadentes passam
sem avisar
acordamos no meio do universo
pelas cores vivas

do arco-íris em chamas]



Como é grande a sua poética nostálgica escrita
Nos nevoeiros repentinos
Nas amendoeiras que esperam o inverno
No corpo que sangra viagens


Há pessoas doam a alma junto com o coração
Para que a saudade não seja aprisionada
E ler seja uma aventura pelas suas palavras

Um abraço Ricardo Pocinho – O Transversal


Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 05/08/2018 14:30  Atualizado: 05/08/2018 14:30
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9217
 Re: sem título I (quem quiser que o coloque)
Bom dia Ricardo, teus versos enredam o universo, e suas consequências existenciais, haja vista que cada elemento nesta cadeia existencial ocupa um espaço, e certamente intervem entre si em alguma medida, parabéns pelo vosso redundante texto, eu te desejo um excelente domingo, um abraço, MJ.

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 05/08/2018 20:25  Atualizado: 05/08/2018 20:25
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15082
 Re: sem título I (quem quiser que o coloque)
Doce e encantador lirismo, poeta Pocinho! O título será "Atalaia". Gosto muito da palavra. Abraços!

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 06/08/2018 00:22  Atualizado: 06/08/2018 00:22
 Re: sem título I (quem quiser que o coloque) para Transversal
É sempre o caos, você diz.
Da mesma maneira, de invernos e mares e cores, e pessoas é algo mais da palavra que servir a este espaço de letras constantes que cortam a paisagem por quererem ser. E elas, essas letras são..todas as margens e paisagens e corpos e formas, e este título:


Sobre a presença da letra que se desprende, que independe-se[para não mais ter de se controlar...]




Um abraço ao meu mestre!